Bruxelas apresenta propostas para transformar o lixo em riqueza e emprego

A Comissão Europeia acredita poderem ser criados 580 mil postos de trabalho e tornar a Europa mais competitiva com a aposta na reciclagem e a criação de uma economia circular.

A Comissão Europeia adotou esta quarta-feira, 2 de julho, um conjunto de propostas de âmbito ambiental com o objetivo de garantir um crescimento mais sustentável. De acordo com o documento divulgado pela Comissão, a aposta numa economia circular e na reciclagem poderá permitir a criação de 580 mil novos postos de trabalho.

As propostas apresentadas pela Comissão pretendem reduzir “os impactos ambientais e a diminuição da emissão de gases com efeito de estufa”. Entre os objetivos assumidos quer-se que os cidadãos europeus consigam reciclar 70% dos resíduos municipais e 80% dos resíduos de embalagens até 2030. A manutenção de resíduos recicláveis em aterros passa a estar proibida a partir de 2025.

Segundo explica a Comissão Europeia, a transformação de uma economia linear numa economia mais circular pressupõe, por exemplo, que em vez da extração de matérias-primas, que acabam por ser utilizadas uma única vez, seja dada preferência a uma lógica de reutilização, reparação e reciclagem.

O comissário europeu para o Ambiente, Janez Potocnik, assegura que “se quisermos competir temos de tirar o máximo partido dos nossos recursos e isso significa reciclá-los para lhes dar uma nova utilização produtivo e não enterrá-los em aterros como resíduos”.

A instituição europeia defende que a utilização mais eficaz, por um maior período de tempo, dos recursos para fins produtivos possibilitaria à União Europeia um aumento da sua competitividade na cena internacional.

As propostas legislativas, que serão analisadas no Conselho e Parlamento Europeu, prevêem que a contabilidade seja medida tendo por base o PIB face ao consumo de matérias-primas, sendo possível que a meta relativa à melhoria de 30% se assuma como central na próxima revisão da Estratégia Europa 2020.

De entre as iniciativas que serão lançadas destacam-se a “Emprego Verde” e o “Plano de Ação Verde para as PME”, sendo que os esforços europeus deverão concentrar-se também na simplificação legislativa sobre os resíduos e na maior cooperação entre os Estados-membros e a Comissão.




Conteúdo Recomendado