Arranca segunda-feira campanha de descontos em museus e monumentos

Com esta campanha, a tutela pretende “incentivar e promover a participação cultural dos portugueses”.

O Ministério da Cultura criou uma campanha de descontos no acesso a museus, palácios e monumentos nacionais, incluindo sítios arqueológicos, que se inicia na segunda-feira e inclui mais de 60 equipamentos culturais espalhados pelo país.


Segundo a secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Ângela Ferreira, em declarações à Lusa, trata-se de uma “uma campanha de descontos de verão, que arranca na segunda-feira e dura até 30 de setembro, que inclui todos os monumentos, museus, palácios nacionais e sítios arqueológicos, que estão sob tutela do ministério da Cultura”.


“Construímos 17 itinerários, agrupados por diferentes temas ou por regiões e que incluem mais de 60 equipamentos culturais espalhados por todo o país, e os descontos consubstanciam-se na compra de um bilhete para estes itinerários, que tem a duração de sete dias. Ou seja, cada um dos visitantes tem sete dias para usufruir dos equipamentos que fazem parte desse itinerário”, explicou Ângela Ferreira.

No caso dos bilhetes individuais, “o desconto será de 25% sobre o valor normal desse pacote”. Nos bilhetes de família, o desconto é de 45% e o conceito de família inclui “os ascendentes ou os descentes, num total de até 10 pessoas”.

“Ou seja, podemos ter uma família que traz os filhos, os avós, num total de até dez membros da mesma família”, referiu.

Com esta campanha, a tutela pretende “incentivar e promover a participação cultural dos portugueses”: “Dar-lhes a oportunidade de visitar ou revisitar os nossos museus e monumentos, a um custo mais reduzido, num ano que se espera que seja excecional, em que temos noção das dificuldades que muitos portugueses estão a atravessar do ponto de vista económico”.

Além disso, num ano “em que a maioria dos portugueses vai passar férias em Portugal, cumprindo um apelo que o primeiro-ministro já fez”, o Ministério da Cultura está “a trabalhar para que exista uma oferta cultural a um preço mais reduzido em todo o país e que esta seja uma escolha prioritária dos portugueses neste verão”.




Conteúdo Recomendado