Novas exposições na reabertura dos espaços expositivos do Município da Guarda

A partir de 5 de abril, na terceira fase de desconfinamento prevista pelo governo, abrem os espaços expositivos ao público. Na Guarda, o momento será acompanhado da abertura de três novas exposições.


A partir de 6 de abril: Paganus de João Henrique Pires com curadoria de Vitor Freitas, na Torre de Menagem; a partir de 8 de abril, Bruto de Agostinho Santos com curadoria de Valter Hugo Mãe, mostra tripartida pela BMEL – Bliblioteca Municipal Eduardo Lourenço, Museu da Guarda e Capela dos Póvoas; e ainda, a partir de 9 de abril, a exposição de fotografia “O Tempo das Mulheres” de Alfredo Cunha num reagendamento e coorganização do CEI /TMG e que ficará patente na Galeria de Arte do Teatro Municipal da Guarda.

Segundo a autarquia, “trata-se de uma semana especial com várias exposições nos diferentes equipamentos culturais do Município para celebrar esta rentrée de Primavera na cidade mais alta do país.”

SOBRE AS EXPOSIÇÕES

6 de abril a 23 de maio – Torre de Menagem
Inauguração 17h00
“Paganus – um exercício sobre a condição humana” de João Henriques Pires, com curadoria de Vítor Freitas

O discurso expositivo resulta de uma investigação artística baseada na observação de fenómenos, de gestos ou de exercícios que caracterizam o quotidiano daqueles que vivem no meio rural. É essa interação que o artista contempla e perspetiva, explorando de várias formas objetos tornados expressão artística. A exposição, realizada no âmbito do programa BOLSEI-ARTE de apoio à experimentação artística, promovido pelo Aquilo Teatro CRL e a empresa 02S – Engenharia e Construção, Lda, em parceria com o programa Incentiv[ART] – Incubadora de projetos artísticos, implementado pelo Município da Guarda.

8 de abril a 16 de junho – BMEL, Capela do Solar dos Póvoas, Museu da Guarda
Inauguração:
BMEL 17h30
Capela do Solar dos Póvoas 18h00
Museu da Guarda 18h30
Bruto, de Agostinho Santos, com curadoria de Valter Hugo Mãe

Duas personalidades do mundo das Artes e da Cultura que dispensam qualquer apresentação plantaram este projeto na Guarda: a árvore cresceu e deu belos frutos. Com mais de 300 peças artísticas (pinturas, objetos, esculturas e livros de artista) distribuídas por vários equipamentos culturais, a exposição apresenta-se, desde logo, como um roteiro pelo centro Histórico da Guarda. Vai do Museu até ao Café Concerto, passando pela Capela do Solar dos Póvoas e pela Biblioteca Municipal. As obras de arte expostas, desenvolvendo uma linguagem muito pessoal, ainda que de cariz predominantemente neoexpressionista, materializam uma visão fantasmagórica do mundo pandémico em que temos estado mergulhados. O Livro da exposição será igualmente apresentado na sessão de abertura desta iniciativa no Museu. Até 16 de junho.

9 a 23 de abril Galeria de Arte do TMG
Inauguração 18h00
“O Tempo das Mulheres” de Alfredo Cunha

Esta grande exposição comemora 50 anos de carreira do fotógrafo Alfredo Cunha, cuja temática celebra a condição feminina através de imagens captadas em vários contextos, revelando a beleza, a sensibilidade e a importância das mulheres em múltiplos contextos sociais à escala planetária. Esta exposição contempla as melhores fotografias de um conjunto de 400 imagens recolhidas em mais de 20 países ao longo de 50 anos, seguindo a sequência lógica do ciclo de vida da mulher, da infância à velhice. Alfredo Cunha é um dos mais consagrados fotojornalistas portugueses dos últimos 50 anos. Esta exposição é uma coorganização CEI/TMG.



Conteúdo Recomendado