Município de Celorico da Beira reabre serviços de atendimento ao público

A Câmara de Celorico da Beira, no distrito da Guarda, reabriu alguns serviços de atendimento ao público e também o Mercado Municipal, “com a observância de algumas medidas de proteção sanitária, de higiene e segurança”, foi hoje anunciado.

Segundo a autarquia presidida por Carlos Ascensão, na segunda-feira o município procedeu à reabertura dos serviços de tesouraria, secretaria, águas e saneamento, obras particulares, biblioteca municipal, gabinetes de agricultura, ação social e florestal, com um horário de funcionamento das 09h00 às 15h00.

O município esclarece em comunicado que o desconfinamento inicial “processa-se em respeito pelas orientações do governo e das autoridades de saúde e com a observância de algumas medidas de proteção sanitária, de higiene e segurança”, incluindo o uso obrigatório de máscara (para funcionários e munícipes), a fixação de uma lotação máxima dentro dos serviços, a higienização regular dos espaços de atendimento ao público e a disponibilização de gel desinfetante.

A disponibilização de informação útil e de sinalização, a manutenção do distanciamento social, durante o atendimento e nas filas de espera, e a obrigatoriedade de os munícipes aguardarem pela sua vez no exterior dos edifícios municipais, são outras das regras aplicadas.

A Biblioteca Municipal de Celorico da Beira reabriu na terça-feira para proporcionar empréstimo e devolução de livros e de documentos.

Na terça-feira, a mesma autarquia também procedeu à reabertura do Mercado Municipal, estando o seu funcionamento condicionado “à estrita observância de normas de proteção individual recomendadas pela Direção-Geral da Saúde, nomeadamente a obrigatoriedade do uso de máscara e luvas por clientes e vendedores, a higienização das mãos e a manutenção do distanciamento físico”.

O município de Celorico da Beira refere em comunicado publicado na sua página da internet que a reabertura do Mercado Municipal, no âmbito do plano municipal de levantamento gradual das medidas de confinamento, “é a oportunidade para os produtores locais escoarem os seus produtos e os munícipes adquirem produtos locais de qualidade, ajudando assim a economia local a reerguer-se”.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 290 mil mortos e infetou mais de 4,2 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Portugal contabiliza 1.175 mortos associados à covid-19 em 28.132 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia.

Portugal entrou no dia 03 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Esta nova fase de combate à covid-19 prevê o confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância ativa, o dever geral de recolhimento domiciliário e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.




Conteúdo Recomendado