Investigação destaca o efeito da Água Termal de Monfortinho nas patologias da pele

Projeto de investigação avaliou o potencial bioativo das águas termais da região centro e fundamentou cientificamente o efeito da água termal de Monfortinho nas doenças da pele.

Os resultados obtidos numa investigação desenvolvida em parceria entre investigadores da Universidade da Beira Interior (UBI) e da Universidade de Coimbra (UC) mostraram que o efeito benéfico tradicionalmente reconhecido para a água termal de Monfortinho na melhoria do estado das doenças da pele é suportado em resultados laboratoriais que evidenciam a capacidade desta água para reduzir a proliferação e o metabolismo das células que contribuem para o desenvolvimento de doenças como a psoríase e a dermatite atópica.

Os resultados foram publicados esta semana em artigo científico “In vitro evaluation of potential benefits of a silica-rich thermal water (Monfortinho Thermal Water) in hyperkeratotic skin conditions”, no International Journal of Biometeorology e resultou do trabalho conjunto de duas equipas de investigadores, uma da Universidade da Beira Interior (CICS-UBI), liderada por Ana Palmeira de Oliveira, e outra da Universidade de Coimbra (CNC-UC), liderada por Teresa Cruz Rosete, que trabalharam em conjunto para validar o uso tradicional das águas termais da região centro.

O projeto foi financiado pelo Centro2020, com fundos especificamente aplicados para a valorização de recursos endógenos (PROVERE) e foi gerido pela Associação de Termas de Portugal – Termas Centro.

Do projeto resultaram várias apresentações em congressos científicos e em eventos para a comunidade, sendo este o segundo artigo científico publicado, encontrando-se ainda mais dois a aguardar decisão dos jornais científicos.



Conteúdo Recomendado