GNR fiscaliza uso do cinto de segurança e cadeirinhas

Até domingo vão ser realizadas mais de 2.100 ações. Militares vão estar atentos às estradas onde este tipo de infrações são as mais frequentes.

Mais de 4.800 militares da GNR fiscalizam a partir desta segunda-feira o uso do cinto de segurança e de cadeirinhas para crianças, nas estradas onde estes tipos de infrações são as mais frequentes.

Os militares da Unidade Nacional de Trânsito e dos comandos territoriais vão realizar até domingo 2.144 ações de fiscalização, segundo um comunicado.

A GNR sublinha que, este ano, detetou 15.102 condutores a circular em infração, dos quais 13.976 por falta de cinto de segurança e 1.126 por não utilização de cadeirinhas para crianças.

A força de segurança acrescenta que o cinto de segurança e os sistemas de retenção para crianças (SRC) reduzem a ocorrência de ferimentos ou a sua gravidade nos ocupantes de um automóvel interveniente em acidente de viação.

“As estatísticas dos acidentes ocorridos em Portugal continuam a apresentar números preocupantes sobre esta matéria, muito particularmente os ocupantes que se fazem transportar nos bancos da retaguarda dos veículos ligeiros de passageiros e nos veículos pesados de mercadorias e de passageiros, sem fazerem uso de sistema de retenção”, refere a GNR, que salienta estar “empenhada em alterar os comportamentos relacionados com o não uso do cinto de segurança e do SRC”.




Conteúdo Recomendado