Covid-19: Município de Celorico da Beira tem unidade de acolhimento com 67 camas

O município de Celorico da Beira, no distrito da Guarda, instalou uma unidade de acolhimento no pavilhão gimnodesportivo municipal com capacidade para 67 camas, para concentração e reforço de meios de socorro, foi hoje anunciado.

A autarquia refere em comunicado hoje divulgado na sua página oficial na internet que a unidade de acolhimento foi instalada no cumprimento do Plano Operacional de Contingência de combate à pandemia causada pela covid-19.

Os serviços municipais de Celorico da Beira também coordenam outros locais de proteção e concentração de meios, como a Pousada da Inatel de Linhares da Beira (com 46 camas) para local de concentração dos utentes de Instituições Particulares de Solidariedade Social do concelho que não estejam infetados com a covid-19.

Os edifícios da casa e da escola de parapente, também em Linhares da Beira, estão referenciados como “locais de isolamento e apoio a pessoas suspeitas ou infetadas”.

“O serviço municipal de proteção civil está preparado para garantir, em situações de contingência, dentro dos limites dos seus recursos, os serviços essenciais à população e responder às situações de socorro em articulação com as autoridades competentes”, lê-se.

A nota acrescenta que “a proteção civil tem capacidade de resposta, limitada aos recursos disponíveis, para gerir equipas de colaboradores municipais, servir refeições diárias, assegurar serviço de lavandaria e higiene, prestar apoio social e de transporte de, e para, [a] todos os cidadãos que venham a precisar de ajuda ou se encontrem em situação de emergência”.

Segundo o comunicado, “na esperança de que estas respostas não venham a ser necessárias”, o presidente da Câmara Municipal de Celorico da Beira, Carlos Ascensão, “escolhe estar preparado e organizado”.

A autarquia de Celorico da Beira reconhece que a logística disponibilizada no concelho “só é possível graças ao envolvimento de muitas pessoas, instituições, autoridades civis e militares e empresas locais”, a quem “agradece profundamente a disponibilidade”.

“Manter o maior isolamento social continua a ser a palavra de ordem e a melhor forma de prevenção contra o covid-19”, remata.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 54 mil.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 246 mortes, mais 37 do que na véspera (+17,7%), e 9.886 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 852 em relação a quinta-feira (+9,4%).



Conteúdo Recomendado