Governo vai trabalhar para encontrar soluções de ligação de Vilar Formoso à A25

Autarca de Almeida, António Machado disse que as reivindicações “são simples e têm fácil implementação”, tendo apenas que haver “vontade política”.

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, disse ontem que o Governo vai trabalhar com a Câmara e a Junta de Freguesia para encontrar “boas soluções de ligação” de Vilar Formoso à autoestrada A25.

“Vamos trabalhar com a Câmara de Almeida e com a Junta de Freguesia (de Vilar Formoso) para encontrar as boas soluções de ligação da vossa terra a esta infraestrutura”, disse Pedro Marques, durante a cerimónia de assinatura do contrato da empreitada de construção do troço final da autoestrada A25, entre Vilar Formoso e a fronteira com Espanha, onde esteve também o primeiro-ministro.

Este troço terá 3,5 quilómetros e custará 13.207.512 euros, devendo estar concluído no segundo trimestre de 2020.

Ao discursar, o presidente da Câmara de Almeida, António Machado, mostrou o seu reconhecimento aos governantes “pela coragem” de se deslocarem a Vilar Formoso para “apresentar uma obra com a qual a população não concorda”, por temer que lhe vá “tirar oportunidades”.

“Sabemos que é um traçado importante a nível nacional, a nível ibérico, a nível europeu, crucial para o comércio internacional de mercadorias, importante para o desenvolvimento dos dois países. Mas é um problema para as nossas povoações”, frisou o autarca.

António Machado disse que as reivindicações “são simples e têm fácil implementação”, tendo apenas que haver “vontade política”.

Uma delas é, segundo o autarca, a requalificação do parque TIR, que “tem que ser um equipamento de referência, seguro e que responda às necessidades das empresas que transportam mercadoria”, e a outra “a construção de uma ligação direta a Vilar Formoso”.

“Fuentes de Onoro vai contar com essa ligação, Vilar Formoso não a tem. Reivindicamos que seja construída”, frisou.

Na sua opinião, devia também haver uma área comum de Vilar Formoso e Fuentes de Onoro onde houvesse “serviço de apoio ao viajante, ao transporte, à logística” e ligação ao caminho de ferro.

“Temos de ser capazes de tomar as decisões que fazem avançar o país e as nossas regiões e, ao mesmo tempo, ter a sensibilidade de resolver aqueles problemas que possam pôr em causa o desenvolvimento de cada terra”, considerou Pedro Marques.

O ministro disse entender os receios das populações, que tiveram “um grande impacto na sua vida, no seu desenvolvimento”, quando a fronteira foi aberta.
Por isso, além de garantir que serão encontradas soluções de ligação de Vilar Formoso à A25, defendeu que tem de ser encontrada “uma forma de potenciar o parque TIR e de o ligar melhor” à autoestrada.

“É a nossa obrigação. Vamos fazer em conjunto, porque quem melhor conhece a realidade são os que cá estão”, acrescentou.




Conteúdo Recomendado