Geopark Naturtejo oferece mil árvores para reflorestar áreas ardidas

O Geopark Naturtejo está a promover uma campanha de oferta de mil árvores na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) para serem plantadas nas áreas ardidas deste Geopark da rede UNESCO, foi hoje anunciado.

“Estamos a desenvolver uma campanha, em conjunto com o Centro de Ciência Viva da Floresta (CCVF) de Proença-a-Nova e com a Câmara de Oleiros, dois dos municípios mais afetados pelos incêndios, oferecendo mil árvores na BTL a todos os que nos visitam”, disse à agência Lusa o presidente do Geopark Naturtejo, Armindo Jacinto.

O Geopark Naturtejo da Meseta Meridional, que integra a rede mundial da UNESCO, inclui os concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Nisa, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão.

Este responsável adiantou ainda que após a oferta, o Geopark Naturtejo está a sugerir às pessoas que adotem a árvore e que se desloquem ao território para a plantar, contribuindo assim na ajuda à reflorestação das áreas ardidas durante os fogos de 2017.

“Sejam os padrinhos e as madrinhas das árvores ao longo da sua vida e venham ao território cuidar delas. Desta forma, estão a contribuir, não só para a reflorestação das áreas ardidas no Geopark, que sofreu com os incêndios do ano passado, sobretudo em Oleiros e Proença-a-Nova, como também contribuem para a economia desta região”, afirmou.

Armindo Jacinto adiantou ainda que o Geopark Naturtejo vai estar presente, na próxima semana, na Feira Internacional de Turismo de Berlim (ITB), a representar a rede mundial de Geoparques da UNESCO, onde irá oferecer 80 árvores a 80 jornalistas.

“O objetivo é trazer ao território esses jornalistas para plantarem as respetivas árvores, conhecerem e divulgarem o território”, concluiu.




Conteúdo Recomendado