Comissão Europeia promove Roteiro da Ciência em Coimbra

O Comissário Europeu Carlos Moedas visita Coimbra e Cantanhede a 5 e 6 de novembro.

Nesta agenda dedicada à investigação, ciência e inovação, o Comissário inaugura a aceleradora de empresas TecBIS do Instituto Pedro Nunes e um edifício do Instituto de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico em Ciências da Construção (ITeCons). Visita a Universidade de Coimbra, centros de investigação e empresas.

O Roteiro da Ciência é uma iniciativa que permitirá explicar a ação da Comissão Europeia na promoção da Investigação, Ciência, e Inovação, nomeadamente os instrumentos europeus em vigor (Horizonte 2020, Fundos Estruturais e Plano de Investimento Juncker), conhecer casos de sucesso de instituições públicas e privadas, assim como de investigadores e empresas, promovendo o contacto entre instituições regionais, nacionais e europeias.
Aproveitando a oportunidade das comemorações dos 725 anos da Universidade, Carlos Moedas pretende conhecer em detalhe a excelência da ciência e da inovação que se produz em Coimbra e em Cantanhede.

O Roteiro da Ciência em Coimbra será dedicado a áreas centrais na programação do Horizonte 2020, em particular a saúde.

No dia 5 de Novembro, o Comissário Carlos Moedas dedica o seu programa à área da Sáude e da Biotecnologia. Visita o BioCant, em Cantanhede, onde terá oportunidade de conhecer o Parque e diversas empresas residentes como a Crioestaminal/GeneLab, a Coimbra Genomics, a Heart Genetics, e o Centro de Neurociências e Biologia Celular UC-BIOTECH. No mesmo dia, o Comissário visita o Instituto de Ciências Nucleares Aplicadas à Saúde (ICNAS) em Coimbra.

No dia 6 de Novembro, o Comissário dá seguimento à agenda da Saúde numa reunião com o Reitor da Universidade de Coimbra e com o Presidente Conselho Administração do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra.

Segue-se uma visita à Bluepharma, empresa farmacêutica que concentra os seus esforços no fabrico, investigação, desenvolvimento e comercialização de medicamentos e que dedica uma parte importante à investigação, desenvolvimento e registo de medicamentos.

Ainda no dia 6 destacam-se duas inaugurações de infraestruturas de apoio à inovação das empresas.

Em primeiro, a inauguração da aceleradora de empresas TecBIS, do Instituto Pedro Nunes. O TecBis é uma estrutura de apoio às empresas que actua a jusante da incubadora, visando dar resposta a necessidades específicas de empresas em estado de desenvolvimento mais avançado. O TecBis, que tem capacidade para acolher cerca de 20 empresas em fase de crescimento em 4.500 m2 de área útil para instalações de empresas, teve um investimento total de cerca de 8,2 milhões de euros, contando com uma contribuição do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional da UE (FEDER) de 7 milhões através do Programa Operacional «Centro». Ainda no Instituto Pedro Nunes, o Comissário Carlos Moedas visita as empresas Feedzai e iClio.

Em segundo, o Comissário europeu visita o Instituto de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico em Ciências da Construção (ITeCons), onde inaugura o edifício do Pólo de Energia para a Sustentabilidade. O edifício foi já premiado na categoria de “Construção e Sustentabilidade” dos Prémios Construir 2015. O ITeCons, criado em 2006, é a instituição que faz a ponte entre a indústria da construção e dos materiais e o Laboratório de Construções do Departamento de Engenharia Civil da Universidade de Coimbra.

O Comissário Carlos Moedas dará uma atenção importante à comunidade académica. Participa num Encontro-café com o Reitor da Universidade de Coimbra João Carvalho e Silva sobre “Investigação, ciência e inovação” no âmbito das celebrações dos 725 anos da Universidade de Coimbra. Durante o almoço, o Comissário europeu terá uma reunião com os investigadores consagrados com a bolsa de investigação pelo Conselho Europeu da Investigação (ERC). Durante o dia, o Comissário Carlos Moedas fala também em duas conferências; uma no Departamento de Engenharia Civil, sobre “Investigação e Inovação em Engenharia Civil e do Ambiente: como potenciar as colaborações entre as Universidades e as Empresas”; e outra na Faculdade de Psicologia, sobre “O ensino Superior pós-Bolonha: Tempo de balanço, tempo de mudança”.




Conteúdo Recomendado