BOOM Festival reforça plano de segurança e previne risco de incêndios

O Boom Festival reúne iniciativas e medidas de segurança para prevenir eventuais situações de risco.

Idanha-a-Nova é um concelho em que o risco de incêndio “é muito elevado” e, nesse sentido, é necessário definir objetivos como criar descontinuidade de combustíveis e implementar e/ou reforçar medidas de prevenção, autoproteção e combate aos incêndios, um plano traçado por Miguel Almeida, especialista envolvido nos relatórios dos incêndios junho e outubro no centro do país encomendados pelo Governo Português, em coordenação com forças de segurança, proteção civil e saúde.

Devido às condições meteorológicas instáveis, às expetativas de mais um ano de seca e toda a época de incêndios do ano passado, o Boom Festival reúne iniciativas e medidas de segurança para prevenir eventuais situações de risco.

Segundo o Major Luís Patrício, Chefe de Secção do Comando Territorial da GNR de Castelo Branco, estarão envolvidos nas operações 761 militares no período que antecede e durante o festival. A principal finalidade é “assegurar a manutenção da ordem pública, a proteção de pessoas e bens e garantir a normal regularização do trânsito”, explica.

Além de intensificar a descontinuidade do combustível que o terreno da Boomland oferece naturalmente e implementar e/ou fortalecer medidas de prevenção, autoproteção e combate, a 12º edição do Boom Festival irá apresentar novas medidas que foram elaboradas com a colaboração das entidades de segurança, proteção civil e saúde nacionais e locais, refere a organização.

Neste sentido foram tomadas algumas medidas como a existência de 750 extintores junto à margem direita da Albufeira de Idanha-a-Nova, existirão; 14 Elide Fire Balls para a rápida extinção do fogo em áreas confinadas; 16 bocas armadas de incêndio; pontos de acesso à água canalizada; uma equipa de sapadores internos, com duas viaturas 4×4 com material sapador e com capacidade para até 500 litros de água; quatro torres de iluminação amovíveis e uma retroescavadora.

O plano de segurança prevê a evacuação do recinto, havendo para o efeito caminhos com uma largura mínima de 3,5 metros, por onde o público poderá deixar a Boomland a pé, podendo também haver a retirada seletiva (de pessoas com dificuldades respiratórias, por exemplo) pela barragem. Para facilitar a evacuação do Car Parking e da Caravan Park, as viaturas serão estacionadas em posição de emergência (com a dianteira virada para as saídas), com o objetivo de se evitar confusões geradas pela necessidade de inversões de marcha.

No caso de haver obstáculos, entra em cena a retroescavadora, que poderá ainda ser usada para a extinção de chamas por abafamento ou para a ampliação de faixas de descontinuidade de combustíveis.

Relativamente à segurança no lago haverão oito nadadores-salvadores distribuídos por dois turnos, de modo a assegurar a segurança de todos os boomers na Albufeira de Idanha-a-Nova.

Por outro lado, o Hospital da Campanha do Boom será formado por nove contentores com ar condicionado e condições propícias para a realização de vários atos médicos necessários a um evento com a duração de 8 dias, numa das localidades mais quentes do país.

A equipa médica é composta por cinco médicos, oito enfermeiros, dois fisioterapeutas, 28 tripulantes de ambulância e três administrativas que assegurarão o funcionamento do hospital.

Haverá também duas ambulâncias e três viaturas todo o terreno devidamente equipadas e dois postos médicos secundários/avançados.

De regresso aos 150 hectares da Boomland, o Boom Festival é um evento bienal de cultura independente e sustentável sendo uma referência internacional.

Multidisciplinar, Transgeracional e intercultural, o Boom recebeu já inúmeros prémios internacionais na área da sustentabilidade ambiental.




Conteúdo Recomendado