9º Festival da Cherovia decorre na zona histórica da Covilhã

O Festival da Cherovia, que se encontra a decorrer desde quinta-feira, decorre até domingo na zona histórica da Covilhã.

Uma festa que tem como principal objetivo dar a conhecer e impulsionar a cherovia enquanto produtor gastronómico de excelência, e que é organizada numa parceria entre a Banda da Covilhã, a Associação Deserturna e Câmara da Covilhã, contando ainda com o apoio da Covilhã Eventos e da Associação Académica da Universidade da Beira Interior (AAUBI).

Garantida está a animação, as tasquinhas, a cozinha ao vivo, o folclore, os concertos, as exposições, a animação de rua, os espaços ‘gourmet’ e as bancas de artesanato.

A cherovia é uma raiz branca que faz lembrar a cenoura e que pode ser utilizada na gastronomia, sendo rica em vitamina C, potássio, fósforo, magnésio e cálcio.

Este tubérculo sempre foi cultivado na Cova da Beira, mas durante anos a sua utilização não era muito valorizada, estando agora novamente a ser potenciada.

Segundo a organização, esta edição está orçamentada em cerca de seis mil euros e, entre espaços comerciais já existentes e outros que abrem especialmente para o festival, há cerca de 60 participantes.

Uns optarão por vender a cherovia de forma natural, outro devem optar por apresentar algumas das “mil e uma iguarias” gastronómicas ou produtos derivados.

“Não existe outra raiz no mundo que tenha esta potencialidade de receitas. Há mil e uma já inventadas e outras tantas para descobrir e, por tudo isto, se justifica toda a sua promoção e apoio que podermos dar a este produto tão nosso, tão típico, tão tradicional e ao mesmo tempo tão criativo e inovador”, sublinhou Eduardo Cavaco.

Este responsável destacou ainda a importância deste festival para afirmar no mercado a cherovia, que tem vindo a ganhar fama e que já integra receitas de muitos ‘chef’ de renome.

“Passou de uma raiz desprezada para rainha da festa”, assumiu Eduardo Cavaco, realçando que nesta edição serão ainda apresentados novas formas de usar a cherovia e produtos derivados que foram, entretanto, criados.

É o caso das receitas que vão ser apresentadas pelo ‘chef’ José Rosário ou da cerveja artesanal de cherovia que será lançada neste evento, durante o qual também será lançada oficialmente a marca “Cherovia da Covilhã”.

Entre as novidades contam-se ainda o facto de a AAUBI ter decidido fazer a apresentação oficial do programa da Receção do Caloiro durante este festival, bem como o alagamento das atividades ao Mercado Municipal, que no período da manhã acolherá momentos de cozinha ao vivo e a venda de cherovia.

Uma aposta que foi destacada pelo presidente da Câmara da Covilhã, Vítor Pereira, que lembrou que este certame se coaduna com a estratégia da autarquia no que concerne à revitalização da zona antiga da cidade.

“Este evento é uma forma de chamarmos a atenção para esse potencial enorme que é o nosso centro histórico. É uma forma de puxar pelo nosso centro histórico e de o afirmarmos como polo de atração”, referiu.




Conteúdo Recomendado