Utentes de lares da Comunidade da Beira Baixa estão a realizar testes

Todos os municípios da Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa (CIMBB) estão a realizar testes para despiste rápido à covid-19 aos utentes de lares, cidadãos não residentes e profissionais identificados como prioritários, foi hoje anunciado.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara de Vila Velha de Ródão e da Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa (CIMBB), Luís Pereira, explicou que foi decidido que cada um dos municípios avançava com o procedimento de aquisição dos testes.

“Inicialmente era para ser a CIMBB a liderar o processo. Contudo, cada um dos municípios avançou com o procedimento da aquisição dos testes e a contratação dos serviços com as empresas que os realizam”, afirmou Luís Pereira.

Adiantou ainda que o processo em curso nos seis municípios que integram a CIMBB está a decorrer sem quaisquer constrangimentos, sendo que até agora não há a registar casos positivos à covid-19.

“Foi estabelecido entre os municípios um conjunto de prioridades [para a realização dos testes] em que os lares [utentes e profissionais] surgem na primeira linha, seguindo-se os profissionais de socorro e de segurança e todas as pessoas que vieram para os territórios [não residentes nos concelhos] nas últimas semanas”, sublinhou.

O presidente da CIMBB e autarca de Vila Velha de Ródão realçou que o processo tem decorrido bem e adiantou que no caso do seu município os testes abrangem ainda as pessoas que trabalham no comércio local: “Só em Vila Velha de Ródão já foram feitos 325 testes até hoje e todos deram negativo”.

A CIMBB integra os concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 345 mortes, mais 34 do que na véspera (+10,9%), e 12.442 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 712 em relação a domingo (+6%).

Dos infetados, 1.180 estão internados, 271 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 184 doentes que já recuperaram.




Conteúdo Recomendado