UBI estuda utilização de biofármacos no combate à Alzheimer

O projeto conta com a participação de mais seis investigadores do Centro de Investigação em Ciências da Saúde da UBI e a colaboração elementos do CICECO, da Universidade de Aveiro.

A utilização de biofármacos no tratamento da doença de Alzheimer está a ser estudada no Centro de Investigação em Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior (CICS-UBI), no âmbito do projeto PUREmiRSILs.

O trabalho, iniciado em julho, é coordenado pela docente e investigadora Fani Sousa e “visa o desenvolvimento de uma nova tecnologia de preparação de medicamentos biológicos, em particular de precursores de microRNAs”, explica a UBI.

A concretização dos objetivos abre portas a um evidente avanço científico e resultará em transferência de tecnologia, ou seja, aplicação de novos processos nas empresas do sector. A indústria biotecnológica tem desenvolvido plataformas para a produção e purificação de diversos produtos e a indústria farmacêutica usa estas tecnologias na preparação de produtos biológicos. “No entanto, a utilização de microRNAs como agentes terapêuticos é uma área sob intensa investigação, e dadas as particularidades associadas a novas moléculas, é essencial o desenvolvimento de novos métodos e tecnologias que possam ser posteriormente aplicadas na indústria, para desenvolvimento de produtos terapêuticos”, como explica Fani Sousa, investigadora da unidade sediada na Faculdade de Ciências da Saúde da UBI.

O desenvolvimento e implementação de um processo biotecnológico eficiente, robusto e amigo do ambiente para a preparação deste tipo de biofármacos, “pode facilitar a sua produção em larga escala, potenciando a distribuição mais alargada, o que representa uma mais-valia para o tratamento da doença de Alzheimer”, ainda de acordo com Fani Sousa. Lembra que se trata de uma patologia para a qual as terapêuticas disponíveis “não conduzem ainda aos resultados desejados em termos de tratamento” e, por isso, “qualquer abordagem alternativa, que seja segura e eficaz, poderá trazer mais vantagens para a saúde pública”.

Designado “PUREmiRSILs – Suportes modificados com Liquidos Iónicos para a Purificação de pré-miRNAs envolvidos na doença de Alzheimer”, o projeto que enquadra-se nas linhas de investigação em desenvolvimento no CICS-UBI, em particular no Grupo de Investigação de Biofármacos e Biomateriais. A mais-valia científica mereceu o reconhecimento da parte da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), que lhe atribuiu um financiamento de aproximadamente 240 mil euros.

O projeto conta com a participação de mais seis investigadores do Centro de Investigação em Ciências da Saúde da UBI e a colaboração elementos do CICECO, da Universidade de Aveiro.




Conteúdo Recomendado