Covilhã inaugura painel alusivo à Transumância

A Câmara Municipal da Covilhã inaugurou no passado dia 26 de setembro um Totem alusivo à transumância, localizado na Avenida Pêro da Covilhã.

Este painel tem como objetivo dar a conhecer a quem passa pela Covilhã toda a sua história dedicada à transumância.

Aquando da criação do concelho em 1186, a Carta de Foral é clara no que toca à importância da criação deste tipo de gado. A principal feira da cidade, concebida por carta de D. Afonso III, e com data posteriormente fixada em julho, pela festa de S. Tiago, por D. João I, era uma feira sobretudo dedicada aos gados e à lã. E o concelho da Covilhã, enquanto porta de entrada para a Serra da Estrela, integrava as principais rotas da transumância.

Terá sido este tipo de movimentações que levou à criação de cargos para o controlo de gados e resolução de conflitos entre pastores e proprietários. É o caso dos cargos de “Porteiro e Andador da Serra da Estrela” e de “Desembargador Juiz e Conservador dos Pastores Ganadeiros da Serra da Estrela e Alentejo”.

No século XIX, e apesar da decadência da transumância, a criação de gado lanígero continuava a ser uma constate na região. Alguns criadores apostavam na inovação e especialização e introduziam novas raças mais aptas para a produção de lã.

Hoje em dia, a ovinicultura tem um papel pouco representativo, no concelho, e a movimentação de gados para o pasto é quase residual, restringindo-se entre a povoação onde reside o proprietário e a meia encosta, onde por vezes o pastor possui uma segunda residência. São exemplos desta situação algumas explorações em Verdelhos que sazonalmente deslocam os seus rebanhos para a montanha, nas Sarnadas e zona do Poço do Inferno.



Conteúdo Recomendado