Simulador virtual é atração no Centro Interpretativo do Vale Glaciar

Equipamento, inaugurado na última segunda-feira, ficou a custo zero para a Câmara de Manteigas. O Centro Interpretativo do Vale Glaciar do Zêzere abriu portas em Manteigas, na passada segunda-feira, dia de feriado municipal. De acordo com a informação disponibilizada pela autarquia, o equipamento aposta nas novas tecnologias para que os visitantes fiquem a saber como […]

Equipamento, inaugurado na última segunda-feira, ficou a custo zero para a Câmara de Manteigas.
O Centro Interpretativo do Vale Glaciar do Zêzere abriu portas em Manteigas, na passada segunda-feira, dia de feriado municipal. De acordo com a informação disponibilizada pela autarquia, o equipamento aposta nas novas tecnologias para que os visitantes fiquem a saber como se formou o vale glaciar, que tem 13 quilómetros, o que é a glaciação e quais foram as suas consequências, apresentando ainda vários quadros interativos sobre a fauna e a flora existentes. Mas o grande atrativo promete ser um simulador que permitirá ao visitante fazer uma viagem virtual em balão de ar quente sobre a zona e acompanhar as mudanças originadas ao longo dos tempos. O presidente do município Esmeraldo Carvalhinho acredita que o centro vai dinamizar a atratividade turística da vila e servirá também para «valorizar o território, dando-o a conhecer aos visitantes, para que o possam apreciar e interessar-se pela sua preservação». É que o vale está integrado no Parque Natural da Serra da Estrela e faz parte da Rede Natura 2000. Instalado numa antiga Casa do Guarda, junto ao Viveiro das Trutas, o Centro Interpretativo do Vale Glaciar do Zêzere divulga também o passado e o presente de Manteigas e apresenta um mapa interativo com 16 percursos pedestres pelo concelho. As obras de adaptação do edifício e o seu equipamento custaram 400 mil euros, valor totalmente suportado por fundos comunitários e verbas do Turismo de Portugal, sublinhou o autarca. Além dos turistas, Esmeraldo Carvalhinho anunciou que serão feitas parcerias com as escolas da região e do país para que os alunos possam visitar o equipamento.



Conteúdo Recomendado