Seminário Nacional dedicado às alterações climáticas realiza-se esta sexta-feira em Seia

O terceiro Seminário Nacional de Adaptação Local às Alterações Climáticas tem lugar no Centro de Interpretação da Serra da Estrela.

O Município de Seia, na qualidade de membro da Rede de Municípios para a Adaptação Local às Alterações Climáticas, acolhe o terceiro Seminário Nacional de Adaptação Local às Alterações Climáticas – adapt.local.19, no próxima sexta-feira, dia 15 de novembro.

O debate em torno do desafio de adaptação às alterações climáticas vai decorrer no Centro de Interpretação da Serra da Estrela e é dirigido ao público em geral, mas em particular aos autarcas, técnicos, estudantes e investigadores.

O programa junta especialistas, personalidades de reconhecido mérito e autarcas na apresentação de experiências e partilha de soluções em torno da premente discussão no domínio das alterações climáticas. Além das apresentações, o seminário conta também com um conjunto de workshops de capacitação técnica, com abordagens transversais a problemas climáticos recorrentes, como cheias e inundações, ondas de calor, a importância do planeamento territorial, contribuindo para a melhoria do conhecimento e a capacitação dos participantes.

A participação no seminário é gratuita, mas carece de inscrição prévia, que pode ser feita AQUI.

A Rede de Municípios para a Adaptação Local às Alterações Climáticas – adapt.local constitui uma parceria liderada por municípios, mas que envolve também instituições de ensino superior, centros de investigação, organizações não-governamentais e empresas, com a finalidade de dinamizar a adaptação local às Alterações Climáticas em Portugal.

A adapt.local foi criada a 9 de dezembro de 2016 pelos 30 municípios portugueses que dispunham de documentos de planeamento estratégico municipais de adaptação às alterações climáticas, através da assinatura da ‘Carta de Compromisso da Rede’, designadamente: Almada, Amarante, Barreiro, Braga, Bragança, Cascais, Castelo Branco, Castelo de Vide, Coruche, Évora, Ferreira do Alentejo, Figueira da Foz, Funchal, Guimarães, Ílhavo, Leiria, Lisboa, Loulé, Mafra, Montalegre, Odemira, Porto, São João da Pesqueira, Seia, Sintra, Tomar, Tondela, Torres Vedras, Viana do Castelo e Vila Franca do Campo.

A rede assume como missão desenvolver em Portugal um processo contínuo de elaboração de Estratégias Municipais de Adaptação às Alterações Climáticas, aumentando a capacidade dos municípios portugueses e de outras entidades, públicas ou privadas, em incorporar a adaptação às alterações climáticas nas suas políticas de atuação, nos seus instrumentos de planeamento e nas suas intervenções.




Conteúdo Recomendado