Restaurante de Folgosinho doa uma árvore por cada refeição

Através da campanha solidária já foram angariadas mais de 11 mil árvores.

O restaurante O Albertino, em Folgosinho, no coração da Serra da Estrela, está a fazer uma campanha para mitigar a crise trazida pelos incêndios do ano passado.

Pedro Almeida, filho de Albertino, que deu o seu nome ao restaurante que se tornou num dos mais conhecidos da Serra da Estrela, lamenta que o paraíso verde se tenha tornado em “zona negra”, depois dos incêndios de outubro.

Por isso, o restaurante fez um protocolo com os baldios de Folgosinho para doar árvores que serão plantadas na aldeia. Carvalhos, castanheiros, bétulas e dois tipos de pinheiro – o larício e o silvestre – estão no topo da lista para plantação e os clientes têm aderido em força à campanha, que até ao início de 2018 conseguiu angariar mais de 11 mil árvores.

Quantas mais, melhor, até porque não foi apenas Folgosinho a sofrer com os incêndios. Aldeias vizinhas como Melo também foram gravemente afetadas. “As zonas ardidas são comuns”, lembra Beatriz, também filha de Albertino. Assim, outras aldeias vão também beneficiar com a iniciativa.

Mas não é só por caridade que os clientes continuam a ir a Folgosinho. Vão, como antes, apreciar as especialidades da casa, como o borrego grelhado, a feijoada de javali, a cabidela de coelho, leitão grelhado e os vários enchidos caseiros.

É de aproveitar, depois da ida ao restaurante, para passear por Folgosinho – que faz parte da rede de Aldeias de Montanha. Um singular castelo medieval, muitas fontes, os ditos populares espalhados em azulejos pela aldeia são outros motivos de interesse. Além, claro, do convívio com a população serrana.

 




Conteúdo Recomendado