Politécnico da Guarda capacita empreendedores para inverter desertificação

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG), em colaboração com a Universidade da Beira Interior, vai capacitar a população ativa da região “para o empreendedorismo e para o lançamento dos seus próprios negócios”, foi hoje anunciado.

A iniciativa, inserida no projeto de inovação social I3Social, visa “inverter a desertificação e o envelhecimento da população que se verifica na região” das Beiras e Serra da Estrela, “através do aproveitamento de recursos e das competências dos agentes locais e da sua cultura colaborativa”, refere o IPG em comunicado enviado à agência Lusa.

Financiado por verbas europeias e pelo Programa Operacional para a Inclusão Social e Empresa (POISE), o I3Social nasceu de uma parceria entre o IPG, a Associação Aldeia dos Girassóis, a Universidade da Beira Interior (Covilhã) e a Make it Better – Associação para a Inovação e Economia Social.

Segundo os promotores, o projeto “pretende impulsionar iniciativas empreendedoras e criar emprego” nos 15 municípios da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, sendo 12 do distrito da Guarda (Almeida, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Guarda, Gouveia, Manteigas, Meda, Pinhel, Seia, Sabugal e Trancoso) e três do distrito de Castelo Branco (Belmonte, Covilhã e Fundão).

“O projeto I3Social é uma incubadora itinerante para a inovação social, onde os jovens empreendedores podem desenvolver ideias de negócios inovadores, sustentáveis e capazes de garantir um impacto mais duradouro no combate ao despovoamento”, explica, na nota, Manuel Salgado, vice-presidente do IPG e um dos responsáveis pelo projeto.

Segundo o responsável, o Politécnico da Guarda irá participar no projeto “para capacitar os empreendedores nas áreas das ciências empresariais e da comunicação, para que possam lançar os seus próprios negócios e, assim, responder às necessidades do mercado de forma competitiva”.

“Haverá vários espaços espalhados pelos 15 municípios prontos para acolher ideias de projetos, ou negócios inovadores do terceiro setor, capazes de gerar serviços públicos e de grande utilidade para a comunidade”, afirma Manuel Salgado.

O presidente do IPG, Joaquim Brigas, também citado no comunicado, considera que o projeto “reforça o importante papel do IPG, enquanto polo dinamizador de desenvolvimento da Guarda e do interior”.

“O envelhecimento da população e o despovoamento do interior continuam a preocupar-nos. Iniciativas deste tipo permitem dinamizar o tecido empresarial e criar redes de cooperação entre instituições de ensino superior e associações da região, as quais conhecem bem as necessidades da população local, para captar jovens empresários para a nossa região e tentar fixá-los”, remata.

No âmbito da iniciativa, o Politécnico da Guarda e a Universidade da Beira Interior irão criar dois manuais orientadores para os empreendedores.



Conteúdo Recomendado