Pinhel cria Laboratório de Rio após intervenção na ribeira das Cabras

O investimento global, no valor de 125 mil euros, foi financiado na totalidade pela Agência Portuguesa do Ambiente.

A Câmara Municipal de Pinhel criou um Laboratório de Rio para explicar ao público em geral e aos alunos a intervenção efetuada na ribeira das Cabras, em consequência dos incêndios florestais de 2017, foi hoje anunciado.

O presidente da Câmara Municipal de Pinhel, Rui Ventura (PSD), disse hoje à agência Lusa que o projeto surgiu no âmbito das obras de Reabilitação e Requalificação dos Ecossistemas Ribeirinhos, apoiadas pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

Segundo o autarca, o Laboratório de Rio localiza-se junto da ponte do Freixo, na ribeira das Cabras, onde foram criadas zonas de proteção e de preservação da própria ribeira “com a reutilização dos materiais que foram retirados daquele espaço”, como por exemplo a utilização de palha para a retenção das cinzas arrastadas pela escorrência das águas das chuvas.

Após a intervenção, Rui Ventura considera que a Câmara Municipal de Pinhel, no distrito da Guarda, tem “a obrigação de preservar” e de levar as pessoas e a comunidade escolar a conhecer aquele espaço.

“E, depois de conhecerem aquele espaço, ajudarem-nos a preservar. E a perceberem que não é só com betão que se faz a obra”, justifica.

Referiu que a intervenção de proteção da ribeira das Cabras podia ser efetuada com a utilização de betão, mas a opção foi reutilizar materiais “com várias técnicas aplicadas por engenheiros responsáveis” e, agora, o desafio é “fazer a preservação”.

“Enquanto crescem as árvores e não, nós temos que preservar”, apontou, admitindo tratar-se de “um grande desafio” para a autarquia de Pinhel.

O acesso ao Laboratório de Rio, onde foi efetuada “uma intervenção muito feliz”, na opinião do presidente do município de Pinhel, pode ser feito a partir da aldeia de Safurdão.

A intervenção contemplou cerca de seis quilómetros ao longo do percurso da ribeira das Cabras.

No concelho de Pinhel, as obras de Reabilitação e Requalificação dos Ecossistemas Ribeirinhos, que consistem na aplicação de medidas de proteção dos recursos hídricos nas áreas afetadas pelos incêndios ocorridos no ano de 2017, estão a ser realizados na ribeira das Cabras (desde as localidades de Atalaia até Pínzio) e na envolvente da barragem de Vascoveiro.

O investimento global, no valor de 125 mil euros, foi financiado na totalidade pela APA.

Segundo a autarquia de Pinhel, as obras consistem na aplicação de técnicas de engenharia natural, com o objetivo de garantir o escoamento nas linhas de água, minimizar a erosão e o arrastamento dos solos, minimizar o efeito das cheias e inundações, contribuir para a proteção e recuperação da qualidade da água e recuperar as atividades sociais e ambientais associadas aos rios e ribeiras.

A construção do Laboratório de Rio tem o objetivo de “representar todas as técnicas de engenharia natural que serão aplicadas ao longo da ribeira das Cabras e também na envolvente à barragem de Vascoveiro”, indicou a fonte.




Conteúdo Recomendado