Município do Sabugal com orçamento de 24 milhões de euros em 2020

O orçamento do município do Sabugal, presidido por António Robalo (PSD), foi aprovado pelo executivo camarário, por maioria, com a abstenção dos três vereadores do PS.

A Câmara do Sabugal aprovou um orçamento para 2020 de 24 milhões de euros, valor que regista um aumento de quatro milhões de euros relativamente ao de este ano.

O orçamento do município do Sabugal, presidido por António Robalo (PSD), foi aprovado pelo executivo camarário, por maioria, com a abstenção dos três vereadores do PS.

O autarca social-democrata adiantou hoje à agência Lusa que o aumento do orçamento para o próximo ano em quatro milhões de euros “deve-se a um empréstimo já contratualizado, no valor de três milhões de euros”, e a um milhão de euros “relativo a obras comparticipadas por fundos comunitários e que só agora vão ser executadas, apesar de negociadas”.

Segundo António Robalo, o documento que vai orientar os destinos do município em 2020 dá prioridade a “um conjunto de obras de requalificação urbana, particularmente na sede de concelho”.

O orçamento também aposta na “gestão corrente, eficiente e direcionada para a qualidade de vida dos cidadãos” e traduz uma “aposta clara na promoção do concelho, da sua atratividade para a visitação e investimento”.

A qualificação e preservação ambiental, “considerando o património natural e a biodiversidade valores seguros com futuro”, e a “valorização das atividades e valores do mundo rural”, são outras das apostas do atual executivo camarário do Sabugal.

No texto introdutório do documento, António Robalo reconhece que “o progresso e o empreendedorismo locais não dependem exclusivamente” da iniciativa autárquica, mas o executivo municipal do Sabugal “tem procurado assumir o papel de impulsionador de projetos suscetíveis de conduzirem o concelho para níveis superiores de modernização e de satisfação dos anseios das populações, e por forma a elevar a atratividade de um território com excelentes potencialidades”.

O grande desafio estratégico da autarquia “é conter o despovoamento, promover o território, atrair investimentos que criem emprego e fixem população no concelho, assegurar o desenvolvimento e a contínua elevação da qualidade de vida dos cidadãos, prestando um serviço público de qualidade”, acrescenta.

“Vamos continuar o esforço de captação de investimento, dinamização e diversificação da economia, que valorize a produção e crie emprego, assente numa estratégia de promoção económica do concelho, de valorização e qualificação de infraestruturas económicas, de participação em redes supramunicipais de valorização e promoção do território, facilitando e identificando oportunidades assentes nos nossos recursos com potencial de diferenciação”, lê-se.

O autarca assinala ainda que em 2020 o município do Sabugal, no distrito da Guarda, situado junto da fronteira com Espanha, mantém os impostos e as taxas municipais em valores mínimos, sendo o Imposto Municipal Sobre Imóveis (IMI) urbano de 0,3%, o IMI rústico de 0,8%, o IRS (devolução da participação variável de 05%), a taxa de Derrama de 0% e a Taxa de Direitos de Passagem também de 0%.

O orçamento do município do Sabugal vai ser discutido na próxima reunião da Assembleia Municipal.




Conteúdo Recomendado