Município de Celorico da Beira reduz custos da fatura energética

A medida “tem o propósito de aumentar a eficiência energética dos equipamentos elétricos dos serviços de iluminação pública e reduzir a fatura energética municipal atua”.

O município de Celorico da Beira adjudicou um contrato de gestão de eficiência energética, para executar num prazo de 13 anos e no valor de 3.276.010 euros, que vai permitir reduzir a fatura energética municipal, foi hoje anunciado.

Segundo a autarquia presidida por Carlos Ascensão, o contrato de gestão de eficiência energética, adjudicado ao Consórcio HEN, “permitirá uma partilha de poupança de 15%”, garantida com a substituição das luminárias existentes na rede pública de todo o concelho (cerca de 7.000) por luminárias de tecnologia LED.

O município refere em comunicado publicado na página oficial da internet que a medida “tem o propósito de aumentar a eficiência energética dos equipamentos elétricos dos serviços de iluminação pública e reduzir a fatura energética municipal atual e no futuro, traduzindo-se no aumento da qualidade do serviço prestado à população e na melhoria das contas do município”.

“A execução deste contrato de gestão de eficiência energética não implica qualquer investimento da parte do município na substituição e gestão do equipamento energético ao longo da sua vigência e não produz despesa pública futura, uma vez que todo o investimento é garantido pela Empresa Serviços Energéticos, em função da gestão de uma poupança que é gerada pela aplicação de novas tecnologias, muito mais eficientes e económicas”, lê-se.

A nota sublinha que atualmente a despesa municipal em iluminação pública é de 440.000 euros por ano e, com a vigência do contrato celebrado com o Consórcio HEN, o município “garantirá uma poupança de 49.500 euros/ano”.

A Câmara Municipal de Celorico da Beira, no distrito da Guarda, lembra que o investimento enquadra-se “nas políticas pró ambientalistas implementadas pelo município e demonstra a sensibilidade ambiental e económica nas escolhas do executivo” liderado por Carlos Ascensão.

“Em termos ambientais, a implementação deste projeto vai originar uma redução significativa de emissões de CO2 e dos consumos de energia, em consonância com as metas definidas na Agenda 2030, para direcionar o mundo no caminho sustentável e resiliente”, remata.




Conteúdo Recomendado