Município da Guarda vai ampliar Plataforma Logística em mais 41 lotes de terreno

Fonte; http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?p=101009092

O autarca assume que o investimento terá “um custo elevado”, daí que o município vá recorrer a uma via de financiamento comunitário.

A Câmara Municipal da Guarda vai iniciar este ano os procedimentos com vista à ampliação da Plataforma Logística de Iniciativa Empresarial (PLIE) em mais 41 lotes de terreno, foi hoje anunciado.

Segundo o presidente da autarquia, Carlos Chaves Monteiro (PSD), o município que lidera decidiu proceder à ampliação daquele complexo empresarial por atualmente apenas estarem disponíveis cerca de cinco lotes de terreno para acolhimento de novas empresas.

“Nós temos à volta de cinco lotes disponíveis para poder instalar novas empresas na Plataforma Logística. Os restantes lotes ou estão [com equipamentos empresariais] construídos, têm escritura pública de compra e venda ou contrato promessa [de compra e venda]”, disse o autarca aos jornalistas no final da reunião quinzenal do executivo.

Ainda de acordo com Carlos Chaves Monteiro, “mais de metade da PLIE tem projetos empresariais a decorrer”.

Para fazer face à falta de lotes de terreno, a autarquia vai iniciar este ano o processo de ampliação do complexo empresarial para disponibilizar mais 41 lotes aos investidores.

“Temos já o espaço disponível, o espaço está licenciado”, disse o responsável, indicando que a fase de expansão, que está contemplada na área da Plataforma Logística, incluirá a construção de infraestruturas rodoviárias, passeios, de eletricidade e telecomunicações.

O autarca assume que o investimento terá “um custo elevado”, daí que o município vá recorrer a uma via de financiamento comunitário.

A PLIE, edificada perto da localidade de Gata, nas proximidades da cidade da Guarda, é uma plataforma transfronteiriça inserida na Rede Nacional de Plataformas Logísticas, contemplando áreas de transportes/logística, localização empresarial, inovação tecnológica e de apoio e serviços.

A plataforma representou um investimento de 34 milhões de euros e é considerada um “projeto âncora” para o desenvolvimento empresarial e económico da região, disponibilizando um total de 196 lotes.

Na PLIE estão instaladas várias empresas e um Parque TIR para apoio ao transporte internacional rodoviário de mercadorias.

O assunto da PLIE foi abordado pelo autarca após os vereadores do PS (Cristina Correia e Manuel Simões) terem falado, no período de antes da ordem do dia da reunião, do programa “Trabalhar no Interior” lançado pelo Governo.

O PS elogiou a medida governamental e, segundo Cristina Correia, referiu que importará “que a Câmara Municipal da Guarda consiga acompanhar” as decisões políticas “apresentando programas e medidas que possam majorar, ainda mais, os impactos positivos” das políticas anunciadas, nomeadamente “através da definição de uma verdadeira estratégia para a captação do investimento e para a criação de postos de trabalho” no concelho.

Os socialistas perguntaram ainda a Carlos Chaves Monteiro “quantos postos de trabalho foram criados” no concelho desde que é presidente da autarquia.

Na resposta, o presidente do município disse que desde 2015 foram criados “600 postos de trabalho” e investidos “à volta de 100 milhões de euros”.




Conteúdo Recomendado