Júlio Santos é candidato à concelhia da Guarda do PSD para garantir “estabilidade política”

“Seremos o garante de estabilidade política, de harmonia e serenidade de que o PPD/PSD da Guarda tanto precisa”, disse o candidato.

O social-democrata Júlio Santos anunciou ontem a sua candidatura a presidente da concelhia da Guarda do PSD, com eleições marcadas para sábado, com o objetivo de garantir “estabilidade política” à estrutura partidária.


“Seremos o garante de estabilidade política, de harmonia e serenidade de que o PPD/PSD da Guarda tanto precisa”, disse ontem o candidato na conferência de imprensa de apresentação da candidatura.


Júlio Santos, que se candidata pela segunda vez consecutiva ao cargo – nas anteriores eleições perdeu com o atual líder concelhio, Tiago Gonçalves -, disse também que, caso seja eleito presidente da estrutura social-democrata concelhia a equipa que lidera será “o escudo político do executivo municipal, deixando a este a árdua tarefa de gerir o concelho sem ‘achas ou areias na engrenagem'”.


“É da responsabilidade de todos nós zelar pela manutenção do PPD/PSD à frente dos destinos da Guarda, apostando na estabilidade, na pacificação do nosso partido, através de uma escolha responsável nas próximas eleições internas para a concelhia da Guarda”, acrescentou o líder da lista A.
O candidato tem como adversário Sérgio Costa (lista G), ex-vice-presidente da Câmara Municipal da Guarda, que em março passou a vereador sem pelouros na maior autarquia do distrito da Guarda, após o presidente Carlos Chaves Monteiro (PSD) lhe ter retirado a confiança política.
“Sinto o pulsar dos militantes e também o pulsar da comunidade, que é muito importante. E, neste momento, os militantes não querem uma afronta à autarquia, querem, acima de tudo, harmonia e estabilidade e é esse o lema da nossa candidatura”, afirmou Júlio Santos.


Segundo o candidato, “criar condições de estabilidade na governação do concelho e credibilizar a ação política” é um eixo estratégico da candidatura.


Ester Amorim, candidata à Mesa da Assembleia, disse na conferência de imprensa que a candidatura de Júlio Santos é formada por “gente da Guarda”.


“Se os militantes nos derem a sua confiança votando na lista A, irá surgir uma nova forma de fazer política capaz de juntar todos os militantes no mesmo projeto. Não admitimos calúnias, nem intrigas em relação à Câmara Municipal da Guarda e ao seu presidente”, disse.


O atual presidente da concelhia social-democrata da Guarda, Tiago Gonçalves, não se recandidata ao cargo.



Conteúdo Recomendado