Investigação coordenada por docente da UBI centrada no treino da força envolve mais de 500 pessoas

Mário Marques, docente da UBI e investigador do CIDESD, é o coordenador da investigação.

O desenvolvimento e a melhoria da força e da potência muscular em diferentes populações tem sido o foco dos trabalhos desenvolvidos por um grupo de investigadores do Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano (CIDESD). De acordo com a Newsletter de fevereiro deste Centro, as recolhas de dados já envolveram mais de 500 pessoas, entre atletas de alto rendimento, crianças e idosos. Agora, procura-se desenvolver linhas de orientação que podem ajudar treinadores e profissionais de Educação Física a definir com maior rigor programas especificamente orientados para a maximização da força e da potência muscular.

“A melhoria da força é uma necessidade prioritária se se pretende obter o êxito na preparação de atletas e na melhoria da qualidade de vida das populações, em particular nos idosos. Contudo, como cada modalidade desportiva tem as suas necessidades relativamente à quantidade e ao tipo de treino necessário para o desenvolvimento e melhoria da força, o mais adequado não é estudar a sua aplicação caso a caso, mas tratar os princípios e leis fundamentais que regem o seu treino, para que cada treinador disponha dos fundamentos suficientes que lhe permita interpretar e adaptar de forma adequada a preparação da força como capacidade motora vital”, explica, à Newsletter, Mário Marques, docente do Departamento de Ciências do Desporto da UBI e investigador do CIDESD que tem coordenado os trabalhos de investigação.




Conteúdo Recomendado