Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027 com dois mandatários da juventude

O júri do concurso premiou as ideias de Inês Lopes Gonçalves, de Aguiar da Beira, de 15 anos, e António Rodrigues, da Guarda, de 17 anos.

A Candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027 apresentou hoje os mandatários da juventude, que venceram o concurso que desafiava os jovens da Beira Interior a apresentarem ideias inovadoras como legado do projeto 20 anos depois.

O júri do concurso premiou as ideias de Inês Lopes Gonçalves, de Aguiar da Beira, de 15 anos, e António Rodrigues, da Guarda, de 17, de entre uma lista de 12 finalistas, de acordo com um comunicado da candidatura enviado à agência Lusa.

“A nossa professora de Português propôs-nos participar e como vivo num ambiente rural acho que o património natural deve ser valorizado. A minha ideia surgiu daí”, referiu Inês Lopes Gonçalves, citada na nota.

A jovem de Aguiar da Beira antevê que, “em 2047, a Guarda seja uma grande cidade, com um grande poder económico e que a Beira Interior tenha a capacidade de reaproveitar todos os locais desabitados para a transformação em espaços naturais com alojamento, onde as pessoas e os visitantes viverão e aprenderão o verdadeiro significado de conviver na Natureza”.

António Rodrigues idealiza que a Guarda, vinte anos depois de ser Capital Europeia da Cultura, apresente “um dos edifícios mais notórios a nível europeu e, possivelmente, mundial: o Panteão da Cultura”, um local onde, com recurso à realidade virtual, rede 5G e Inteligência Artificial, será possível dialogar e interagir com figuras relevantes dos 17 municípios da candidatura Guarda2027.

Entre eles, o jovem destaca Eduardo Lourenço, Eugénio de Andrade, Augusto Gil, Vergílio Ferreira e Pinto Peixoto, entre outros.

Para Beatriz Silva, do júri, que integra o conselho municipal de juventude da Guarda, o concurso “motivou os jovens a pensar o futuro e a empenharem-se em ter uma palavra a dizer no caminho que se está a trilhar para a Beira Interior”.

“A Inês e o António fizeram ouvir a sua voz e fazem agora parte da candidatura por mérito próprio”, salienta a estudante de comunicação e relações públicas no Instituto Politécnico da Guarda (IPG).

O Júri do BI2047 integrava ainda Francisca Abreu, do conselho estratégico da Guarda2027, membro da “Cities for Europe” e vereadora da Cultura de Guimarães durante a Capital Europeia da Cultura em 2012; Patrícia Correia, diretora-adjunta do beira.pt e professora no IPG; Thierry Santos, técnico superior da Câmara Municipal da Guarda e programador para a Juventude e Educação da Guarda2027, e Pedro Gadanho, diretor executivo da Candidatura.

A Candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027 lançou também hoje oficialmente a página ‘web’ da candidatura (www.guarda2027.pt), que “prossegue o seu caminho de preparação do processo, tendo nos últimos meses desenvolvido trabalhos de reflexão estratégica e programação operacional, com as suas equipas a funcionar em modo de teletrabalho”.




Conteúdo Recomendado