Gouveia considera Geopark Estrela “ponto de partida” para valorização do território

O presidente da Câmara Municipal de Gouveia considerou que a aprovação da candidatura da Serra da Estrela a Geopark Mundial da UNESCO é “ponto de partida para a valorização coletiva” do território.

Segundo Luís Tadeu, “o reconhecimento oficial do Geopark é um ponto de partida para a valorização coletiva do território da Serra da Estrela através de uma estratégia coordenada de afirmação social, ambiental e económica”.

A candidatura da Serra da Estrela a Geopark Mundial foi aprovada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) na 4.ª Sessão do Conselho de Geoparks Mundiais, realizada na Indonésia, foi hoje anunciado.

“A região da Serra da Estrela viu na segunda-feira aprovada pelo Conselho de Geoparks Mundiais da UNESCO a sua candidatura a Geopark Mundial e fica agora apenas a aguardar o parecer do Conselho Executivo da agência das Nações Unidas”, refere a Associação Geopark Estrela em comunicado enviado à agência Lusa.

O presidente da autarquia de Gouveia, citado numa nota de imprensa, “congratula-se com a aprovação da candidatura” e manifesta o empenho do município, desde o início, no processo.

No comunicado, Luís Tadeu “compromete-se a continuar a investir na afirmação” do território, “agora Geopark Mundial da UNESCO, após terem sido superados todos os obstáculos que marcaram o processo de candidatura”.

O presidente da Câmara Municipal de Gouveia deixa ainda uma “palavra de apreço” e de reconhecimento a toda a equipa técnica da Associação Geopark Estrela pelo trabalho desenvolvido e “reforça a importância das sinergias intermunicipais em projetos como o do Geopark Estrela”.

“É a união de todos os parceiros que permite vincar uma ação concreta de afirmação de um território comum, como é a Serra da Estrela, promovendo o reconhecimento e a valorização ambiental e científica que podem catapultar este território para o reconhecimento internacional”, afirma o responsável.

A Associação Geopark Estrela, que tem sede no Instituto Politécnico da Guarda (IPG), é composta por nove municípios dos distritos da Guarda, Castelo Branco e Coimbra (Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda, Manteigas, Oliveira do Hospital e Seia) e também pelo IPG e pela Universidade da Beira Interior (UBI).

A presidência da associação é assegurada pelo presidente do IPG, Joaquim Brigas, e a vice-presidência por José Páscoa Marques, vice-reitor da UBI.

Após a aprovação do Conselho de Geoparks Mundiais, a Serra da Estrela fica a aguardar o parecer do Conselho Executivo da UNESCO para ingressar de forma definitiva na lista de Geoparks Mundiais deste organismo das Nações Unidas, adianta a Associação Geopark Estrela.

UNESCO aprova candidatura da Serra da Estrela a “Geopark Mundial”

 




Conteúdo Recomendado