GNR da Guarda tem Posto Móvel para “contacto mais próximo” com a população

A GNR pretende que “seja uma medida compensatória da retirada desses postos”, segundo o major Cláudio Saraiva.

O Comando Territorial da GNR da Guarda apresentou ontem na localidade de Fóios, Sabugal, um novo veículo de apoio ao policiamento, designado Posto Móvel, que vai permitir “um contacto mais próximo” com a população daquela região.

Segundo o major Cláudio Saraiva, relações públicas do Comando Territorial da GNR da Guarda, o Posto Móvel, que irá percorrer os 14 concelhos do distrito da Guarda, “serve essencialmente para projetar o policiamento, ou o patrulhamento dos Postos Territoriais, como também das Secções de Prevenção Criminal e Policiamento Comunitário”.

O veículo irá permitir que, no dia-a-dia, a GNR se desloque “a todos os outros locais onde muitas das vezes as patrulhas só passam”.

Referiu que este veículo será estacionado nas aldeias para que os habitantes possam obter esclarecimentos e apresentar reclamações ou denúncias junto dos militares.

Cláudio Saraiva adiantou que este projeto será sobretudo útil para a população mais idosa que, “muitas das vezes, tem algumas dificuldades em se deslocar às localidades onde existem Postos Territoriais” da GNR.

O Posto Móvel, que opera, no mínimo, com dois militares, está equipado com um computador portátil com ligação à rede nacional de segurança interna e impressora.

O veículo vai servir os 25 Postos Territoriais que a GNR possui no distrito da Guarda e também poderá participar em eventos (feiras, mercados, etc.) e apoiar aquela força de segurança em operações de fiscalização.

A apresentação do veículo aconteceu na aldeia de Foios, situada junto da fronteira com Espanha e a 22 quilómetros da cidade do Sabugal, por, no passado, ter tido postos da ex-Guarda Fiscal e da ex-Guarda Florestal.

A GNR pretende que o Posto Móvel “seja uma medida compensatória da retirada desses postos”, segundo o major Cláudio Saraiva.

O presidente da Junta de Freguesia de Fóios, António Lucas, valoriza a medida da GNR dado que a sua freguesia, com 412 eleitores e cerca de 230 moradores, possui muitos habitantes idosos.

O responsável referiu que a autarquia “tem sempre as portas abertas” para colaborar com iniciativas deste género que são “importantes” para as aldeias do interior do país.

O morador José Manuel Campos, também valoriza a medida da GNR, referindo que os habitantes interpretam a existência do Posto Móvel “como uma revolução pela positiva”, pelo facto de “as pessoas puderem falar com eles [militares da GNR] franca e abertamente”.

“Tenho plena certeza de que vamos colher bons frutos e que, de futuro, tudo será diferente em termos de segurança “, afirmou José Manuel Campos.




Conteúdo Recomendado