Fundão com 28,8 milhões para 2016, menos do que no ano anterior

A Câmara do Fundão contará em 2016 com um orçamento de 28,848 milhões de euros, proposta que o presidente do município considera ser de rigor e que representa uma redução de quase um milhão de euros face a 2015.

“Continuamos com um orçamento de rigor, que segue a linha dos orçamentos tendencialmente de base zero em que se aproximam os valores da receita e da despesa, sendo que prevemos atingir uma execução superior a 80%”, afirmou hoje em declarações à agência Lusa, Paulo Fernandes (PSD).

Segundo o autarca, o documento, que já foi aprovado por maioria em reunião de executivo, propõe também uma redução das despesas correntes em mais de 500 mil euros e das despesas de capital em cerca de 300 mil euros.

“No que concerne às prioridades, a maior aposta mantém-se na componente de inovação e atração de investimento, onde nos focamos sobretudo na continuidade do nosso projeto de apoio à inovação e de atração de empresas”, referiu.

Sublinhando que este plano “é fundamental” para continuar a desenvolver aquele concelho, Paulo Fernandes especificou que o mesmo assentará em quatro vetores: desenvolvimento do setor agroalimentar, aposta na área das tecnologias de informação e comunicação (e respetiva atração de empresas), investimento no denominado cluster dos polimentos e produtos de luxo, bem como no fortalecimento da promoção e de animação turística.

Igualmente prevista no orçamento para 2016 está a aposta na área da educação, com projetos de requalificação e reabilitação do parque escolar e execução de programas de combate ao insucesso escolar.

A componente social e a dos investimentos de proximidade (em que se inclui um aumento do valor a transferir para as freguesias) são também áreas destacadas entre as grandes opções para o próximo ano.

Paulo Fernandes apontou ainda que a vertente da regeneração urbana também terá “forte importância” na ação municipal.

Nesse sentido, explicou que a autarquia já apresentou uma candidatura ao Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), na qual está prevista, por exemplo, a reabilitação do antigo Cineteatro Gardunha, aspiração antiga daquele concelho do distrito de Castelo Branco.




Conteúdo Recomendado