Figueira de Castelo Rodrigo tem aplicação para munícipes comunicarem ocorrências pelo telemóvel

Trata-se de uma aplicação “muito intuitiva”, que permite identificar o local da ocorrência e anexar imagens.

A Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo tem à disposição dos munícipes uma aplicação para telemóveis, que permite a comunicação célere de ocorrências no território, disse hoje à agência Lusa o seu presidente.

Segundo Paulo Langrouva, a aplicação “V”, que foi totalmente desenvolvida pelos técnicos de informática do município, representa uma nova forma de interação com os munícipes e visa aproximar a autarquia dos cidadãos.

A aplicação gratuita, que é destinada a ‘smartphones’ com sistema operativo Android, vai permitir que todos aqueles que se deparem com uma situação anómala de qualquer índole participem ao município para que este “possa agir de forma célere para a sua resolução”.

“O nome [‘V’] deriva do facto de ser para as pessoas poderem ver, visualizar e verificar. É uma aplicação que foi preparada e desenvolvida por técnicos informáticos do município e a finalidade desta aplicação é dar a possibilidade a todos os munícipes e aos presidentes de Junta [de Freguesia], ou quem entender, de descarregar essa aplicação para o seu telemóvel Android e depois reportar diretamente anomalias e situações gravosas que possam estar a ocorrer no município, diretamente para os serviços técnicos”, indicou.

De acordo com o presidente da Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo, trata-se de uma aplicação “muito intuitiva”, que permite identificar o local da ocorrência e anexar imagens.

Com a ferramenta agora disponibilizada, os utilizadores podem reportar, por exemplo, “um problema de água, um problema de saneamento, um problema de limpeza urbana ou um problema de um buraco na via pública”, exemplificou.

Paulo Langrouva explicou à Lusa que o relatório da ocorrência “cai, por exemplo, no’ email’ da chefe de Divisão das Obras, Planeamento e Ambiente e ela depois, por sua vez, tem uma equipa que irá atuar”.

“Temos [Câmara Municipal] a incumbência de, num prazo de 48 horas, tentar responder às anomalias” reportadas através da aplicação “V”, assumiu.

Para o autarca, trata-se de “uma inovação para o concelho e para os munícipes, porque permite relatar episódios, situações anómalas e perigosidades, com rapidez e eficiência”.

“Em segundos, temos a anomalia reportada nos serviços do município que, por sua vez, também têm um prazo de 48 horas para tentar dar resposta”, rematou.

A medida do município de Figueira de Castelo Rodrigo, localizado no distrito da Guarda, junto da fronteira com Espanha, surge na sequência dos objetivos do executivo liderado por Paulo Langrouva que pretende “resolver os problemas reais das populações com a maior celeridade e brevidade possível”.

Os custos com a produção da aplicação “são praticamente inexistentes” para a autarquia, tendo sido apenas necessário pagar uma taxa para que a mesma ficasse disponível aos utilizadores de equipamentos com sistema Android, indicou o responsável.
A aplicação “V” foi apresentada publicamente no domingo, no âmbito das comemorações do feriado municipal de Figueira de Castelo Rodrigo.




Conteúdo Recomendado