“Entrudo Lagarteiro” anima hoje aldeia de Figueira de Castelo Rodrigo

A tradição permite “mulheres mascaradas de homens e homens de mulher, com rendas e máscaras de cortiça a esconder a face para que ninguém seja reconhecido.

A aldeia de Vilar de Amargo, no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo, no distrito da Guarda, revive hoje o tradicional “Entrudo Lagarteiro”, que inclui disfarces com máscaras de rendas e cortiça.

Segundo a Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo, a iniciativa promovida pela Associação Lagarto “envolve toda a comunidade, muita alegria e animação, onde os excessos são permitidos”.

A tradição permite “mulheres mascaradas de homens e homens de mulher, com rendas e máscaras de cortiça a esconder a face para que ninguém seja reconhecido nas pantominices que fazem os outros”.

A organização lembra que, na aldeia de Vilar de Amargo, “enfarinhar e ‘tijenar’ com a fuligem das panelas de ferro era a tradição” carnavalesca.

Este sábado, no largo da escola da aldeia vai-se celebrar a queima do “Entrudo Lagarteiro” e “as viúvas, de negro, preparam o caldo nas apetitosas panelas de ferro que será servido para todos”.

“O Entrudo, figurado num boneco de palha, é construído dias antes da queima, com roupas velhas cheias de palha. Dá-se a forma, ligam-se as partes e temos a estrela da celebração. O boneco é velado durante a tarde e sai à noite pelas ruas empedradas da aldeia, em procissão, numa marcha fúnebre que culmina com a leitura do sermão no largo da torre, a praça central da aldeia”, é anunciado.

Segundo uma nota da autarquia de Figueira de Castelo Rodrigo, a marcha fúnebre (21 horas) vai percorrer as ruas da aldeia, num “ambiente único que envolve a marcha numa tónica fúnebre acentuada pela música e gritos de viúvas que choram o morto”.

“A leitura do sermão (22 horas) e a queima tradicional do Entrudo são momentos altos desta celebração que vai também contar com muita animação, começando pela caminhada matinal no trilho do ‘Entrudo Lagarteiro’ prosseguindo durante a tarde com vários espetáculos, música tradicional, teatro de rua e gastronomia local”, lê-se.

Os participantes serão também guiados pelo abade João de Barros e Brito numa visita encenada que permite “descobrir as ruas, o património edificado da aldeia pitoresca de Vilar de Amargo e conhecer um caso misterioso de um assassinato de uma donzela que ocorreu em 1676”.

O programa do “Entrudo Lagarteiro” de 2020 começa pelas 09h30 com a caminhada ‘No trilho do Entrudo Lagarteiro’ e termina pelas 23h30 com música ‘folk’ e ‘wordmusic’ a cargo de DJ Oliva.

“Coloque uma máscara de renda a rigor, venha conhecer um Entrudo típico da Beira Interior” é o desafio lançado pela organização aos visitantes e aos foliões que pretendam associar-se ao “Entrudo Lagarteiro” do concelho de Figueira de Castelo Rodrigo.




Conteúdo Recomendado