CDS-PP questiona Governo sobre a empresa Dura Automotive da Guarda

O CDS-PP questionou o Governo sobre as medidas que está a tomar para “acautelar” os postos de trabalho na empresa Dura Automotive.

 

Na pergunta dirigida ao ministro Adjunto e da Economia, os deputados do CDS-PP Pedro Mota Soares, Hélder Amaral e João Rebelo “querem saber se o ministro confirma a possibilidade efetiva de encerramento da Dura Automotive e o consequente despedimento de um número impreciso de trabalhadores”.

Segundo uma nota do CDS-PP, os deputados também questionam “se o governante está em condições de manter” a resposta dada pelo seu Gabinete ao Grupo Parlamentar do CDS-PP”, em março, “de que a Dura Automotive não tem como objetivo terminar a sua atividade na unidade fabril da Guarda”.

Pedro Mota Soares, Hélder Amaral e João Rebelo querem ainda saber, “além das já anunciadas”, que outras medidas tomou o Governo “no sentido de encontrar uma solução que viabilize a manutenção dos postos de trabalho na Dura Automotive”, que consideram “fundamentais para a região”.

É a terceira vez que o Grupo Parlamentar do CDS-PP questiona, por escrito, o Governo sobre o assunto.

“De grande importância no distrito da Guarda, a Dura Automotive foi fundada em 1994 e chegou a empregar entre 200 a 300 trabalhadores, impulsionando muito o emprego na região. A deslocalização da produção para fora do país e o consequente despedimento coletivo representa uma enorme machadada na economia da região e das famílias envolvidas, tanto mais que se trata de uma zona do interior, sem alternativas de emprego”, sublinha o partido.

O CDS-PP reitera a sua preocupação com esta situação e entende ser pertinente obter, mais uma vez, esclarecimentos do Governo relativamente à situação da Dura Automotive”.

A Dura Automotive – Indústria de Componentes para Automóveis, Lda., instalada na freguesia de Vila Cortez do Mondego, no concelho da Guarda, tem mais de uma centena e meia de trabalhadores.

O Governo anunciou na quarta-feira que “continua empenhado em facilitar a concretização de uma solução” para a empresa Dura da Guarda e que “os diversos cenários para o futuro” da unidade serão analisados numa reunião com a administração.

O Gabinete do Ministro dos Negócios Estrangeiros referiu, em comunicado enviado à agência Lusa, que na sequência de notícias que têm vindo a público sobre a unidade da Guarda da Dura Automotive e de contactos com a Comissão de Trabalhadores da empresa, o Ministério dos Negócios Estrangeiros, através do Secretário de Estado da Internacionalização e da representação diplomática de Portugal em Washington, nos Estados Unidos da América, “realizou uma diligência junto da presidente do Conselho de Administração da Dura Automotive”.

“Do contacto resultou a disponibilidade em analisar, em reunião a ter lugar nos próximos dias, os diversos cenários para o futuro da referida unidade”, adiantava a nota.

No comunicado era ainda referido que “o Governo português continua empenhado em facilitar a concretização de uma solução que salvaguarde os interesses de todos os intervenientes neste processo”.




Conteúdo Recomendado