DRAP Centro alerta para obrigatoriedade da poda e tratamento de citrinos contaminados

A Direção Regional de Agricultura e Pescas do Centro (DRAP Centro), em edital, apela ao tratamento e poda dos citrinos afetados pela psila africana -Trioza erytreae (Del Guercio), o inseto considerado de quarentena para os citrinos (limoeiro, limeira, laranjeira doce e azeda, tangerineira, toranjeira e cumquates) e outros hospedeiros pertencentes à família das Rutáceas, e que provoca estragos muito graves.

De acordo com o artº 20º do Decreto-Lei nº 154/2005, de 6 de Setembro, «todos os proprietários, usufrutuários, possuidores, detentores ou rendeiros de quaisquer parcelas de prédios rústicos ou urbanos, incluindo logradouros, com citrinos (limoeiro, limeira, laranjeira doce e azeda, tangerineira, toranjeira e cumquates), localizados nas freguesias indicadas, estão obrigados ao cumprimento das seguintes medidas de proteção fitossanitária»:

– 5.1 Podar todos os ramos com sintomas, destruindo os detritos vegetais pelo fogo ou enterramento no local. Realizar tratamentos suplementares nessas árvores e zonas circundantes com produtos fitofarmacêuticos inseticidas autorizados (substâncias ativas tiametoxame ou imidaclopride).

– 5.2 É proibido o movimento de qualquer vegetal ou parte de vegetal de citrinos – ramos, folhas, pedúnculos (exceto frutos) desse local e zona circundante até a praga ser dada oficialmente como erradicada do local.

– 5.3 Caso sejam observados sintomas em plantas de citrinos deverão contactar imediatamente a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Centro.




Conteúdo Recomendado