Criação de Centro de Valorização da Cestaria de Gonçalo publicada no Diário da República

A Assembleia da República recomenda ao Governo que avalie, em colaboração com as autarquias locais, “a possibilidade de criação de um Centro para a Promoção e Valorização da Cestaria de Gonçalo” na Guarda.

A Resolução da Assembleia da República n.º 82/2018, aprovada em 02 de fevereiro e hoje publicada em Diário da República, recomenda a criação do Centro para a Promoção e Valorização da Cestaria de Gonçalo de forma a contribuir para definir a “Cestaria de Gonçalo”, através “das suas características materiais e artísticas, com vista a assegurar um processo de certificação”.

A qualificação e valorização das artesãs e artesãos, bem como a formação de novos artesãos, o levantamento e inventariação das técnicas e processos da arte de trabalhar o vime e o estudo e investigação sobre a história, a estética, os processos, as técnicas e os materiais, são outros dos objetivos a atingir.

A proposta visa também “o controlo, certificação e fiscalização da qualidade, genuinidade e demais preceitos de produção da Cestaria de Gonçalo”, incentivar e apoiar aquela atividade “em colaboração com outras entidades, públicas ou privadas” e, através de assistência técnica, a promoção de estudos com vista à divulgação e valorização da cestaria, promoção de ações de formação e valorização profissional, bem como o apoio à produção local de vime e a sua distribuição e escoamento.

Num segundo ponto, a Resolução da Assembleia da República recomenda ao Governo que “avalie a melhor forma de habilitar a existência de uma classificação da Cestaria de Gonçalo quanto à sua origem e qualidade”.

Com esta medida pretende-se que “seja inscrito em cada cesto o local de manufatura, que seja delimitada uma indicação geográfica que atenda aos usos, história e cultura locais, bem como aos interesses da economia local, regional e nacional, e que se avaliem e identifiquem os materiais, o modelo, o tamanho, a forma e o tipo de manuseamento utilizado pelos artesãos” de Gonçalo, no concelho da Guarda.

A vila de Gonçalo, que tem o epíteto de Capital da Cestaria, dista cerca de 20 quilómetros da cidade da Guarda.




Conteúdo Recomendado