César Prata e Ariel Ninas apresentam “cantos de cego” na Guarda e em Belmonte

Os músicos César Prata e Ariel Ninas (Espanha), que cantam e tocam canções de cego, associadas a feiras e romarias, vão apresentar esta semana o seu trabalho na Beira Interior, com concertos na Guarda e em Belmonte.

O primeiro espetáculo será na quinta-feira, dia 12, pelas 22 horas, no Café Concerto do Teatro Municipal da Guarda, no âmbito do Ciclo Relavrar, e o segundo, na sexta-feira, pelas 21 horas, em Belmonte, na igreja de Santiago.

“Cantos de cego da Galiza e Portugal” é um concerto temático “sobre uma personagem singular na cultura musical ibérica: o cego, que desde a Idade Média povoava o universo sonoro das feiras e romarias, contando e cantando histórias de crimes, romances e feitos históricos”, segundo os autores.

Os dois músicos utilizam diversos instrumentos (sanfona, guitarra, braguesa, ‘guitalele’, harmónio, harmónica e percussões, etc.), cantam e tocam canções de cego.

A sanfona, “instrumento de origem medieval e companheira certa dos cegos cantores”, ocupa um papel central neste concerto que junta canções galegas e portuguesas recentemente gravadas no CD “Cantos de cego da Galiza e Portugal”, editado por aCentral Folque da Galiza.

O álbum contém 16 canções com base em romances recolhidos na Galiza (Espanha), na região da Guarda e na zona da Beira Baixa.

“Rosalina” (Guarda), “O coveiro de Pinzío” (Pinhel), “História de Manuel do Campo”, (Galiza) e “Crime em Compostela” (Galiza) são quatro dos temas tratados pelos músicos.

Segundo os autores, as canções “são versões transmitidas desde tempos imemoriais por ceguinhas e ceguinhos que andaram os caminhos ibéricos cada estação do ano”.

“Faltas de vista, mas com uma capacidade recordatória portentosa, levavam novas aos lugares que visitavam, criando, assim, um sentido de comunidade e um repertório geral de cantigas. Artistas populares para o povo. Ceguinhas e ceguinhos são a memória coletiva, o fio da transmissão oral do nosso imaginário”, escrevem Ariel Ninas e César Prata no CD “Cantos de cego de Galiza e Portugal”.

O músico César Prata, residente em Trancoso, no distrito da Guarda, está associado a inúmeros discos como compositor, arranjador, criador, intérprete ou técnico dos quais se destacam “Chuchurumel”, “Assobio”, “Chukas” (encomenda do IGESPAR para o Parque Arqueológico do Vale do Côa) e “Ai!”.

Está a desenvolver, desde julho de 2014 e em parceria com Suzete Marques, o projeto “Ouvir Ontem” (levantamento e tratamento do património imaterial do concelho de Pinhel, Guarda) e, em junho de 2015, apresentou o segundo disco de “Ai!, Lavra, boi, lavra”.

O músico Ariel Ninas, residente em Santiago de Compostela (Espanha), foi fundador do grupo “Inflatable Buddha” e, nos últimos anos, toca em vários projetos de improvisação livre.




Conteúdo Recomendado