Criada rede regional de ensino profissional

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai lecionar 22 Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTSP), que sucedem aos CET (Cursos de Especialização Tecnológica).

As novas formações foram apresentadas na última quinta-feira durante o seminário “O Empreendedorismo e o Projeto Escolar – novos desafios de Educação”.

Na ocasião foi também anunciada a criação da Rede de Ensino Profissional das Beiras e Serra da Estrela (REPBSE), destinada a promover a troca de informação e o alinhamento entre a oferta formativa dos cursos profissionais de nível 4 lecionados em 26 escolas secundárias e profissionais da região com os CTSP disponibilizados pelo IPG. «Esta articulação permitirá construir “roadmaps” dos percursos formativos possíveis, dos cursos profissionais de nível 4 aos CTSP, licenciaturas e mestrados, que os alunos poderão frequentar no Politécnico», adianta o Instituto. Exclusivos dos politécnicos, os Cursos Técnicos Superiores Profissionais proporcionam formação de nível 5 e incluem um estágio com duração não inferior a um semestre. As inscrições já estão a decorrer, mas os cursos só avançam com um número mínimo de 15 alunos.

As candidaturas à primeira fase do concurso de acesso podem ser apresentadas até 22 de julho. A afixação da lista ordenada dos candidatos ocorrerá até ao final desse mês e as matrículas e inscrições vão decorrer entre 10 de agosto a 4 de setembro. A segunda fase de candidaturas realiza-se de 17 de agosto a 16 de setembro. No seminário, que contou com a presença do diretor-geral do Ensino Superior, João Queiroz, o vice-presidente do Politécnico da Guarda Gonçalo Poeta Fernandes afirmou que «a competitividade dos nossos territórios, o sucesso das nossas empresas e a qualificação da sociedade obriga, necessariamente, a um maior investimento na formação em modelos que possam responder aos contextos de procura e perfis de estudantes».

Compreender como o empreendedorismo e o desenvolvimento de competências empreendedoras podem criar e suportar a mudança social e educacional; questionar como se pode integrar o empreendedorismo e potenciar o projeto de educação escolar e apresentar exemplos de metodologias de educação para o empreendedorismo constituíram os principais objetivos desta iniciativa que contou com as intervenções de Dana Redford (da Plataforma de Educação para o Empreendedorismo em Portugal e docente da Universidade Católica – Porto) e de Teresa Paiva (diretora da Unidade de Desenvolvimento e Investigação do IPG).




Conteúdo Recomendado