Covid-19: Resiestrela apela a novos cuidados na deposição de lixo

Os sacos devem ser sempre colocados dentro do contentor e nunca no chão e, se o contentor estiver cheio, deve procurar-se outro.

A Resiestrela, sistema de triagem e gestão de resíduos que agrega vários municípios da Beira Interior, apelou hoje à população para que “todos cumpram novas regras no manuseamento do lixo doméstico” no âmbito do combate à pandemia Covid-19.

Em comunicado enviado à agência Lusa, esta empresa que tem sede no Fundão, distrito de Castelo Branco, lembra que, caso uma pessoa infetada esteja em casa, os resíduos também podem ser contaminados e que, por isso, devem ser colocados em sacos de lixo resistentes e descartáveis, com enchimento até dois terços da sua capacidade, ou seja, sem encher totalmente os sacos.


“Os sacos devidamente fechados devem ser colocados dentro de um segundo saco, devidamente fechado, e este deve ser depositado no contentor de lixo comum (resíduos indiferenciados)”, acrescenta.


Segundo o referido, os sacos devem ser sempre colocados dentro do contentor e nunca no chão e, se o contentor estiver cheio, deve procurar-se outro.


“Para além disso, as máscaras, luvas e lenços devem ser sempre colocados no contentor do lixo comum”, acrescenta.


A Resiestrela também sublinha que os trabalhadores daquele sistema “continuam todos os dias” a contribuir para a limpeza das e a garantir o tratamento dos resíduos, pelo que apela ao cumprimento das novas regras como forma de agradecimento.


A Resiestrela, S.A. é responsável pela concessão do sistema multimunicipal de triagem, recolha seletiva, valorização e tratamento de resíduos sólidos urbanos provenientes dos concelhos de Almeida, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Guarda, Manteigas, Meda, Pinhel, Sabugal e Trancoso, no distrito da Guarda, e de Belmonte, Covilhã, Fundão e Penamacor, no distrito de Castelo Branco.


O Sistema serve atualmente uma população de cerca de 194.000 habitantes.
O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19,infetou mais de 210 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.750 morreram.
Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 642, mais 194 do que na terça-feira. O número de mortos no país subiu para dois.


Dos casos confirmados, 553 estão a recuperar em casa e 89 estão internados, 20 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI).
O boletim divulgado pela DGS assinala 5.067 casos suspeitos até hoje, dos quais 351 aguardavam resultado laboratorial.


A Assembleia da República aprovou hoje o decreto de declaração do estado de emergência que lhe foi submetido pelo Presidente da República com o objetivo de combater a pandemia de Covid-19, após a proposta ter recebido pareceres favoráveis do Conselho de Estado e do Governo.




Conteúdo Recomendado