Covid-19: Prémios de concurso ibérico Vinduero-Vindouro entregues em gala virtual

Os intervenientes no concurso vinícola poderão viver “uma experiência completamente nova e original no mundo do vinho com recurso as novas tecnologias face aos impedimentos provocados pela covid-19”.

O concurso ibérico Vinduero/Vindouro, onde marcaram presença mais de 900 referencias de vinhos portugueses e espanhóis, promove na quinta-feira a primeira a primeira gala virtual para a entrega de prémios aos melhores classificados, foi hoje divulgado.

Segundo a organização do certame, que cabe ao Argumento Europeu de cooperação Territorial (AECT) Duero – Douro, os intervenientes no concurso vinícola poderão viver “uma experiência completamente nova e original no mundo do vinho com recurso as novas tecnologias face aos impedimentos provocados pela covid-19”.

“O que, no início, vimos como um contratempo contra o qual não podíamos lutar, aproveitámos para converter numa oportunidade, para nos aventurarmos e inovar” disse à Lusa o presidente dos Prémios Vinduero/Vindouro, José Luís Pascual.

Este concurso vinícola realizou-se no início de agosto de 2020, em Travanca, uma localidade raiana da província espanhola de Salamanca a poucas dezenas de quilómetros da fronteira portuguesa, no território do Douro Internacional.

Os assistentes poderão passear por um mundo completamente virtual, conversar com outros assistentes, descobrir informação sobre as Denominação de Origem (DO) premiadas de Espanha e Portugal e sobre os vinhos premiados, aplaudir intervenientes e premiados durante a gala.

Neste concurso, tido como o maior da Península Ibérica, marcaram presença 900 referências de vinhos de 11 categorias diferentes provenientes de múltiplas castas ibéricas e onde a maior presença do lado português são vinhos produzidos na Região Demarcada do Douro (RDD).

Do lado espanhol, o destaque vai a Ribeira del Duero ou Rueda.

De acordo com José Luís Pascual, 53% dos vinhos apresentados a concurso tem origem de Portugal e outros 47% são oriundos de produtores espanhóis.

A iniciativa pretende distinguir os melhores vinhos produzidos em várias regiões vitivinícolas da Península Ibérica numa altura em que o certame atingiu a sua 16ª edição.

O júri do concurso foi composto por um painel de 60 provadores repartidos em parques iguais por homens e por mulheres ligados ao mundo dos vinhos, provenientes de vários países: Portugal, Espanha, França, Itália, Hungria, Uruguai ou China.

O AECT Duero-Douro, um organismo de cooperação ibérica que reúne mais de duas centenas associadas que se estendem pelo território de fronteira que vai desde Vinhais (Bragança) até ao Sabugal (Guarda) do lado Português. Já do lado espanhol este organismo ibérico estende-se desde a Zamora a Salamanca.



Conteúdo Recomendado