Covid-19: Fornos de Algodres faz balanço positivo da Feira Digital do Queijo Serra da Estrela

Queijo Serra da Estrela

As compras foram feitas por consumidores de norte a sul do país e verificou-se “uma maior percentagem de vendas”, da ordem dos 37%, para a zona de Lisboa.

O município de Fornos de Algodres, no distrito da Guarda, fez hoje um balanço positivo da Feira Digital do Queijo Serra da Estrela, que promoveu ‘online’ para ajudar os produtores locais no escoamento do produto.

A autarquia de Fornos de Algodres promoveu o certame entre os dias 01 de março e 04 de abril, na plataforma digital “obomsabordaserra.pt” (acessível em www.obomsabordaserra.pt), que foi criada em março de 2019 para promoção e venda dos mais característicos produtos endógenos locais, com destaque para o queijo Serra da Estrela.

“O balanço é positivo. Ou seja, quando se ajuda a economia local, quando se ajuda a vender e a escoar os produtos dos nossos produtores, é sempre positivo. O balanço é acima daquilo que nós tínhamos idealizado”, disse hoje à agência Lusa o vereador Bruno Costa, responsável pelo pelouro do Ambiente e das Alterações Climáticas na Câmara Municipal de Fornos de Algodres.

O autarca ainda não possui o número concreto das vendas de queijo que foram efetuadas durante a feira digital, que substituiu o tradicional certame que não se realizou devido à pandemia causada pela covid-19, mas adianta que só durante o mês de março foram vendidos “para cima de 300 queijos”.

As compras foram feitas por consumidores de norte a sul do país e verificou-se “uma maior percentagem de vendas”, da ordem dos 37%, para a zona de Lisboa.

“E estamos a ganhar também grande mercado no Algarve. Este ano, nomeadamente no mês de março, ganhámos muitos clientes novos do Algarve, o que demonstra que este projeto não está parado, não é estático, e chega, felizmente, a muita gente”, disse Bruno Costa.

O vereador referiu à Lusa que os produtores de queijo Serra da Estrela do concelho de Fornos de Algodres “estão muito contentes e estão, acima de tudo, muito esperançados com o futuro” no “mundo digital”.

Explicou que o município ajuda os produtores nos processos de informática e de logística, resumindo-se a sua função à feitura “do melhor produto de Portugal e do mundo” e à disponibilização do queijo para expedição para os consumidores.

“Felizmente, eles [os produtores] conseguem perceber efetivamente que o trabalho que o município está a fazer nesta área está a ir ao encontro daquilo que eles sempre idealizaram, que era a valorização do seu produto”, afirma.

Bruno Costa lembrou que em finais de 2018 existiam dois produtores de queijo no concelho com certificação Serra da Estrela DOP (Denominação de Origem Protegida). Em 2019, após a criação da plataforma digital “obomsabordaserra.pt”, o número aumentou para quatro e, em 2020, surgiu um novo produtor.

“Ou seja, nós [município de Fornos de Algodres] aumentámos em cerca de 250% os produtores certificados DOP. E estamos a trabalhar para, no final de 2021, termos mais do que aqueles que temos atualmente”, concluiu o responsável.

Segundo a autarquia, na área geográfica de produção de queijo Serra da Estrela, que engloba 18 concelhos, de acordo com dados da ESTRELACOOP – Cooperativa dos Produtores de Queijo Serra da Estrela, Fornos de Algodres “é o único município que aumentou os produtores certificados (DOP) nos últimos anos, estando em contraciclo com os restantes municípios”.



Conteúdo Recomendado