Covid-19: Centro e norte mais problemáticos

Na região centro as áreas críticas são Cantanhede, Leiria, Penacova e Pedrógão Grande, mas também Pinhel e Trancoso.

A região centro de Portugal tem a maior taxa de letalidade do país em relação à covid-19 mas a mortalidade é maior no norte, indica uma análise à pandemia da Escola Nacional de Saúde Pública, Universidade Nova de Lisboa.

O barómetro Covid-19 hoje divulgado faz uma análise dos dados atualizada a 20 de abril. A universidade divulga semanalmente a evolução dos casos por concelho, para identificar áreas onde seja necessária uma ação rápida. Os dados, dizem os autores, são indicadores importantes para a definição de uma estratégia de abertura faseada, ao nível temporal e geográfico, das atuais medidas de restrição.

O barómetro identifica quatro zonas com uma prevalência de covid-19 superior ao que seria de esperar, tendo em conta a realidade nacional.

No norte do país são identificadas como áreas críticas o Porto, Santo Tirso, Paços de Ferreira, Braga e Ovar, entre outros concelhos vizinhos. Nessa área o número de casos confirmados é 3.4 vezes maior do que no resto do país.

Na região centro as áreas críticas são Cantanhede, Leiria, Penacova e Pedrógão Grande, entre outros concelhos vizinhos, e também Pinhel e Trancoso.

Câmara de Lobos, na Madeira, é a quarta zona com mais casos em termos estatísticos. “No dia 19 de abril, Câmara de Lobos entrou em cerca sanitária devido ao elevado número de casos naquele concelho, resultado de uma cadeia de transmissão local”, lembra-se no documento.

Os autores salientam que os Açores, com a primeira morte em 09 de abril, tem uma taxa de letalidade (número de mortes entre infetados por covid-19) elevada mas que tal se deve a serem números baixos os que estão em análise.

De resto no barómetro diz-se que é preciso cuidado na interpretação dos números. O centro tem uma elevada proporção de idosos, como o Alentejo, mas tem uma maior densidade populacional, o que pode contribuir para ter mais casos. E também pode haver assimetrias a nível de testes, com locais a terem muitos mais testes do que outros, o que eleva o número de casos.

“Por exemplo, o centro tem maior taxa de letalidade que o norte, no entanto, o norte tem mais casos, o que poderá ser resultado de um maior número de testes realizados nessa região e, na realidade, a letalidade, ser inferior no Centro”, ressalva-se no barómetro.

A covid-19, provocada por um novo coronavírus que surgiu em dezembro na China, já provocou a nível global mais de 184 mil mortos entre 2,6 milhões de infetados, segundo um balanço da AFP.

Portugal contabiliza 820 mortos associados à covid-19 em 22.353 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia.



Conteúdo Recomendado