Covid-19: Carlos Chaves Monteiro sugere ao Governo que feche fronteiras

O presidente da Câmara Municipal da Guarda sugeriu este sábado ao Governo que encerre todas as fronteiras terrestres da região para que seja feita a contenção da pandemia Covid-19.

Carlos Chaves Monteiro defende o fecho das fronteiras com Espanha “tendo em conta o aumento de casos com o novo coronavírus na região espanhola de Castela e Leão onde, segundo os últimos dados, estão já confirmados 223 casos”.

O autarca sugere ao Governo que encerre a fronteira de Vilar Formoso e todas as existentes nos concelhos raianos do distrito da Guarda “em face, também, da proximidade desta região das Beiras e Serra da Estrela com a Província de Salamanca (Espanha), que dista pouco mais de 100 quilómetros da cidade da Guarda e onde foram já confirmadas duas mortes” devido ao Covid-19.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o autarca explica que pretende com esta sugestão “estancar e prevenir o contágio entre cidadãos dos dois países, visto que há fortes relações profissionais, comerciais e pessoais entre as populações dos dois lados da fronteira”.

“O que acontece neste momento é que os cidadãos vão fazer as suas compras e abastecer as suas viaturas no lado de lá da fronteira sem que exista qualquer controlo sanitário. Também se torna uma grande preocupação o facto desta cidade [Guarda] ser servida pelas duas vias mais frequentadas pelos camionistas que fazem os percursos internacionais, A23 [Guarda/Torres Novas] e A25 [Aveiro/Vilar Formoso], e que utilizam com frequência restaurantes e instalações sanitárias neste lado da fronteira, até agora sem qualquer controlo sanitário”, justifica.

Carlos Chaves Monteiro lembra ainda na nota que “é melhor prevenir que remediar e que é urgente tomar uma posição”, visto que na vizinha Espanha “a situação está a complicar-se, sendo a região de Salamanca uma grande preocupação” para a região da Guarda, “dada a sua proximidade”.

“Se a grande vacina existente neste momento para travar esta epidemia é estarmos em casa e evitarmos o contacto social, porque é que o Governo não toma já uma posição de encerrar as fronteiras, por forma a não agravar mais a situação no nosso país. Se prevenir é o melhor remédio, de que estamos à espera?” conclui o presidente do município da cidade mais alta do país.

O novo coronavírus responsável pela pandemia de Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 5.700 mortos em todo o mundo.

O número de infetados ultrapassou as 151 mil pessoas, com casos registados em mais de 137 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 169 casos confirmados.



Conteúdo Recomendado