Comunidade das Beiras e Serra da Estrela exige continuidade do centro CTT no Sabugal

Segundo os subscritores do documento, a administração dos CTT, “incompreensivelmente, decidiu encerrar o Centro de Distribuição do Sabugal e deslocalizar os funcionários da distribuição de correspondência para a Guarda”.

A Assembleia da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) aprovou hoje uma moção pela continuidade do Centro de Distribuição dos CTT no Sabugal e duas sobre o Programa de Apoio à Redução Tarifária nos transportes.

A moção sobre o Centro dos CTT do Sabugal foi apresentada por Alexandre Gonçalves e Victor Cavaleiro, deputados intermunicipais do PS que representam aquele município na Assembleia Intermunicipal da CIM-BSE, que hoje reuniu em Manteigas.

Segundo os subscritores do documento, a administração dos CTT, “incompreensivelmente, decidiu encerrar o Centro de Distribuição do Sabugal e deslocalizar os funcionários da distribuição de correspondência para a Guarda”.

“Muito provavelmente, os funcionários, que até aqui tinham o seu posto de trabalho no Sabugal, irão ponderar a mudança de residência para a Guarda”, acrescentam.

Na moção também admitem que o encerramento do Centro de Distribuição dos CTT “vai aumentar o já volumoso índice de despovoamento do concelho do Sabugal”.

Alexandre Gonçalves e Victor Cavaleiro lembram que a Comissão Política Concelhia do PS local “não ficou indiferente à deslocalização” do Centro de Distribuição dos CTT e “prontamente redigiu e endereçou” uma exposição ao ministro das Infraestruturas e da Habitação, “exigindo que a revogação desta decisão seja contemplada nas próximas negociações do contrato de concessão”.

A moção hoje aprovada na Assembleia Intermunicipal, presidida por Nuno Soares, vai ser remetida para a administração dos CTT, para os Grupos Parlamentares representados na Assembleia da República, para o Ministério das Infraestruturas e da Habitação e para as Assembleias Municipais do território da CIM-BSE.

Segundo o presidente da Assembleia Intermunicipal da CIM-BSE, na sessão de hoje foram ainda aprovadas duas moções sobre o Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART), apresentadas pelos deputados Hélio Fazendeiro (Covilhã) e Luís Lourenço (Fundão).

Os dois documentos, “que deram origem a um texto único, pedem ao Governo que aumente o financiamento à CIM para que se possa ter passes sociais e apoio ao valor do bilhete de transporte para as populações desta Comunidade, que permitam minorar os custos reais”, refere o responsável em comunicado emitido no final da sessão.

Nuno Soares acrescenta que na reunião “foi ainda debatido o concurso público para distribuição de eletricidade em baixa tensão, situação que pode estar a ser pensada em regiões, e não em modelo único para o país, como agora acontece, sendo que o modelo regional pode ser altamente lesivo para os territórios e populações”.

“A sessão, que terá sido, previsivelmente, a última do mandato, ficou também marcada por várias despedidas e por um balanço positivo dos trabalhos desenvolvidos, uma vez que, apesar de o mandato efetivamente ainda não ter três anos, muito e bem se discutiu, com elevação e conhecimento, tendo saído notoriamente incrementado o espírito CIM”, conclui o presidente da Assembleia Intermunicipal.

A CIM-BSE, que tem sede na cidade da Guarda, é constituída por 15 municípios, sendo 12 do distrito da Guarda (Almeida, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Guarda, Gouveia, Manteigas, Meda, Pinhel, Seia, Sabugal e Trancoso) e três do distrito de Castelo Branco (Belmonte, Covilhã e Fundão).



Conteúdo Recomendado