Comissão de Utentes da A23 contesta congelamento das reduções

Perante as últimas notícias sobre o congelamento dos descontos nas portagens das autoestradas do interior, a Comissão de Utentes da A23 já reagiu, considerando que «não é aceitável que a pretexto de negociações deliberadamente arrastadas se prolongue no tempo uma redução que, apesar de não responder às necessidades da região, se torna necessária e urgente».

Num comunicado enviado às redações, a comissão fala num contrato «eticamente reprovável e de legalidade duvidosa» entre o governo PSD/CDS-PP e a Scutvias e sugere uma «resolução unilateral do contrato celebrado pelo já então defunto governo do PSD/CDS-PP com a Scutvias, invocando-se para o efeito a sua nulidade e o interesse geral», caso as negociações não evoluam rapidamente. No documento é ainda referido que as reduções devem chegar ainda este verão e «deve ser estabelecido um calendário de reduções progressivas até á abolição total das portagens».

Caso não cheguem respostas, a Comissão de Utentes da A23 pondera avançar para a mobilização das populações para que manifestem e exijam a abolição das portagens publicamente.

Por agora serão emitidos autocolantes “Portagens-STOP” para aplicar nos veículos, bem como vão ser colocados panos em algumas das entradas da A23.




Conteúdo Recomendado