Colaboratório para as Geociências com sede na UBI representa Portugal em Consórcio Europeu

O EPOS contribui para uma melhor compreensão dos processos físicos que controlam terremotos, erupções vulcânicas, tsunamis, movimentos tectónicos e outros.

A Comissão Europeia concedeu o estatuto jurídico de European Research Infrastructure Consortium (ERIC) ao EPOS (European Plate Observing System), um projeto de longo prazo que visa apoiar a investigação nas Ciências da Terra Sólida.

São várias as instituições de investigação e universidades europeias que participam do EPOS, sendo Portugal representado pelo C4G (Colaboratório para as Geociências), infraestrutura do Roteiro Estratégico com sede na UBI. 

O contrato entre a Comissão Europeia e o Consórcio Europeu de Infraestruturas de Investigação EPOS foi assinado ontem, dia 7 de novembro, segundo refere o delegado nacional para a Assembleia Geral João Fonseca, e também diretor técnico do C4G.

Para Rui Fernandes, presidente do Conselho Executivo do C4G e coordenador do EPOS TCS (Thematic Core Services) GNSS Data and Products, “o C4G, como polo nacional do EPOS, acede a um patamar extraordinário de oportunidades em pesquisas relacionadas com as Ciências da Terra Sólida, tornando-se, inclusive referência no desenvolvimento de tecnologias como o serviço que fornecerá produtos GNSS a partir de dados recolhidos em estações distribuídas por toda a Europa”. 

O EPOS contribui para uma melhor compreensão dos processos físicos que controlam terremotos, erupções vulcânicas, tsunamis, movimentos tectónicos e outros com impacto potencialmente grave sobre o meio ambiente e o bem-estar dos cidadãos, segundo refere uma nota da EPOS.

 

 




Conteúdo Recomendado