Cobertor tradicional de papa dá mote a festa em aldeia da Guarda

A aldeia de Maçainhas, no concelho da Guarda, recebe no fim de semana uma festa dedicada ao tradicional cobertor de papa, também conhecido por “cobertor de pelo” e “manta lobeira”, fabricado segundo o método artesanal.

A Festa do Cobertor de Papa é promovida pela Câmara Municipal da Guarda no âmbito do Ciclo de Festivais de Cultura Popular que visam a valorização de recursos endógenos genuínos e diferenciadores da região.

O programa do evento inclui animação musical, instalações, gastronomia e ateliês ligados à lã e ao fabrico do cobertor, um debate, uma caminhada, uma corrida e a instalação de uma estrutura denominada “Papa Dome”.

Segundo a organização, o espaço “Papa Dome”, que será uma das surpresas do evento, é uma estrutura com cinco metros de diâmetro e com capacidade para acondicionar 25 visitantes de cada vez, que terá atividades durante os dois dias do certame.

“Nele [no espaço “Papa Dome”], o público é desafiado a utilizar os seus sentidos e a descobrir os sons, as texturas, os cheiros e as cores do cobertor de papa e do seu processo de fabrico. A estrutura é toda ela forrada de cobertores e ali decorrem micro concertos pelo Conservatório de Música de São José da Guarda”, é anunciado.

As instalações artísticas que estarão colocadas ao longo da aldeia de Maçainhas, “são o fio condutor do próprio programa, conduzindo os visitantes para os vários pontos e identificando os locais das iniciativas”, é referido.

No sábado, pelas 15h30, haverá um debate sobre “A Pastorícia como fator de desenvolvimento sustentável”.

O debate será moderado por Valentín Cabero Diéguez e terá intervenções de Manuel Rodríguez Pascual (investigador na área da transumância), Frederico Lucas (projeto Novos Povoadores), Marta Antunes (empresária que vende peças em burel, tecido feito de lã de ovelha) e Lígia Rézio (designer).

A Festa do Cobertor de Papa encerra o programa do Festival “Da Transumância ao Cobertor de Papa”, uma iniciativa da Câmara Municipal da Guarda que também já incluiu atividades nas localidades de Meios (tosquia e gastronomia) e de Fernão Joanes (Festa da Transumância).

A iniciativa está integrada no Ciclo de Festivais de Cultura Popular que a autarquia da Guarda promoveu este ano, entre os meses de maio e de setembro, dedicados à transumância das ovelhas, à vaca autóctone jarmelista, ao cobertor de papa e ao pão tradicional.


Conteúdo Recomendado