CIM Região de Coimbra integra primeira escola portuguesa de pastores

As inscrições para a Escola de Pastores, cujas aulas também passam pelo Município de Oliveira do Hospital e pelo Município de Penela, terminam no dia 23 agosto.

Ontem, dia 20 de agosto, a pastora Manuela Matias, a aluna da escola de pastores, Tânia Gonçalves e o vice-presidente da InovCluster, Luís Pinto de Andrade, marcaram presença no programa da SIC, Alô Portugal, para promover a Escola de Pastores, um projeto-piloto integrado no Programa de Valorização da Fileira dos Queijos da Região Centro. Segundo os promotores, o objetivo desta escola, pioneira em Portugal, passa por cativar empreendedores que queiram dedicar-se à atividade da pastorícia, cujo objetivo principal é contribuir para o reforço e rejuvenescimento da atividade.

A Escola de Pastores inicia no próximo dia 23 de setembro e, até ao momento, já se encontram 58 candidatos inscritos. O curso tem a duração de 4 meses, abrangendo um número total de 560 horas de formação prevendo-se o seu término em janeiro de 2020.

As aulas realizam-se nas Escolas Superiores Agrárias de Castelo Branco e Viseu e em explorações agropecuárias dos concelhos de Castelo Branco e Coimbra, Fundão, Penela, Oliveira do Hospital e Gouveia, podendo também vir a contemplar outros concelhos.

Após concluir a Escola de Pastores com sucesso, os candidatos inscritos têm a oportunidade de se candidatarem ao “Vale Pastor”, um prémio monetário no valor de 5.000 euros.

O Programa de Valorização da Fileira do Queijo da Região Centro iniciou-se em 01 de janeiro, envolve um investimento total de 2,7 milhões de euros, sendo que 2,3 milhões correspondem ao Programa de Valorização da Fileira do Queijo da região Centro, financiado em 85% pelo Centro 2020, e 428 mil euros dizem respeito à iniciativa Rota Turística e Gastronómica Queijos da Região Centro, financiada em 65% através do Valorizar.

Na totalidade, o projeto envolve um total de 14 entidades da região Centro, das quais quatro comunidades intermunicipais (Beira Baixa, Beiras e Serra da Estrela, Região de Coimbra e Viseu Dão Lafões), cinco associações do setor, dois institutos politécnicos (Castelo Branco e Viseu) e o Centro de Biotecnologia de Plantas da Beira Interior.

A iniciativa abrange a produção de queijos de Denominação de Origem Protegida (DOP) da Serra da Estrela, da Beira Baixa e do Rabaçal.




Conteúdo Recomendado