Carlos Reis recebeu Prémio Eduardo Lourenço 2019 com orgulho

Carlos Reis é o vencedor da 15.ª edição do prémio Eduardo Lourenço, no valor de 7.500 euros, atribuído pelo CEI, com sede na Guarda.

O professor e investigador da Universidade de Coimbra Carlos Reis disse, na sexta-feira, que ficou “muito orgulhoso” por ter recebido, na Guarda, o Prémio Eduardo Lourenço 2019, um galardão que “muito o honra”.

Carlos Reis recebeu o Prémio Eduardo Lourenço, atribuído pelo Centro de Estudos Ibéricos (CEI), no decorrer de uma cerimónia realizada na Sala Tempo e Poesia da Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, na Guarda.

Eduardo Lourenço, mentor e diretor honorífico do CEI, não esteve na sessão por razões de saúde, como justificou o presidente da Câmara Municipal da Guarda, Carlos Chaves Monteiro.

No final da cerimónia, o galardoado afirmou aos jornalistas que “basta lembrar o nome do patrono – Eduardo Lourenço – para qualquer pessoa ficar orgulhosa por um prémio destes”.

“Acresce a isto que eu não só sou discípulo e leitor de Eduardo Lourenço há muitos anos, como tenho o privilégio de ser seu amigo e de ele ser meu amigo. Eu trato-o carinhosamente por mestre, mas há mais do que carinho nisto. Há também, realmente, um respeito que é devido à obra do professor Eduardo Lourenço”, declarou.

O investigador referiu depois que o facto de o prémio ser entregue por um Centro de Estudos Ibéricos “não é por acaso que as coisas e as pessoas convergem”.

“Eu há muitos anos que defendo e pratico a unidade cultural, mental, não é uma unidade política, mas é uma unidade cultural e mental e, até, às vezes, paisagística que existe entre Portugal e a Espanha. E quem está, como se está aqui na Guarda, numa zona quase transfronteiriça, sabe bem que é assim”, justificou o galardoado.

Carlos Reis acrescentou que “tudo isto conjugado” lhe dá “uma alegria enorme”.

Sobre a ausência do patrono do prémio, Carlos Reis disse que Eduardo Lourenço “está sempre presente” e que hoje falou com ele por telefone a quem manifestou a sua alegria e garantiu que ele será “sempre o mestre”.

Carlos Reis é o vencedor da 15.ª edição do prémio Eduardo Lourenço, no valor de 7.500 euros, atribuído pelo CEI, com sede na Guarda.

Instituído em 2004, o prémio destina-se a galardoar personalidades ou instituições com “intervenção relevante no âmbito da cultura, cidadania e cooperação ibéricas”.

O elogio ao premiado esteve a cargo do professor catedrático da Universidade de Coimbra José Augusto Cardoso Bernardes, que considerou que Carlos Reis tem um trabalho “vasto, continuado e reconhecido”.

“O prémio foi atribuído com justiça, com adequação e com oportunidade”, observou.

Na sessão, o presidente do município da Guarda afirmou que o prémio “valoriza a cultura, a cidadania e a cooperação ibéricas”.

A secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, que encerrou a sessão, destacou o galardoado “pela capacidade de fazer pontes entre Portugal e Espanha” e, no final da sua intervenção, fez um pedido a Carlos Reis: “Que aceite o meu pedido no Facebook para o seguir”.

Carlos Reis, especializado em Literatura Portuguesa dos séculos XIX e XX e em Teoria da Narrativa, é professor universitário no Departamento de Línguas e Literaturas e Culturas da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e diretor do Centro de Literatura Portuguesa daquela instituição.




Conteúdo Recomendado