Câmara de Idanha-a-Nova investe um milhão de euros na valorização turística de Monsanto

Monsanto

A Aldeia Histórica de Monsanto vai receber um conjunto de novos investimentos para valorização e qualificação enquanto destino turístico, num projeto da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova apoiado pelo programa Valorizar.

O contrato foi assinado entre o Município de Idanha-a-Nova e o Turismo de Portugal no passado dia 4 de janeiro, no Posto de Turismo de Monsanto, com a presença da Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho.

Este projeto visa ajustar Monsanto a uma procura turística exigente e em franco crescimento. Apresenta uma forte complementaridade com outros projetos planeados para esta aldeia histórica, num investimento total de cerca de 1 milhão de euros nas áreas da mobilidade, estacionamento, apoio à visitação e promoção turística.

Entre as ações a desenvolver, destaque para a implementação de um sistema inteligente de gestão de tráfego e estacionamento, para a criação de um parque de estacionamento e para a instalação de uma ferramenta digital de apoio aos visitantes disponível 24 horas por dia.
O projeto promove ainda a utilização do comboio desde Lisboa até Alcains e daí até Monsanto por via rodoviária, disponibilizando produtos locais e produtos agrícolas biológicos aos participantes nessas viagens.

“O bom momento de Portugal no turismo é uma oportunidade para potenciar o turismo em todo o país”, afirmou durante a apresentação do projeto Armindo Jacinto, presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova. O autarca explica que “a visitação que Monsanto recebe origina um conjunto de desafios para tornar mais acessível e sustentável este destino turístico de excelência”.

Aldeias Históricas de Portugal vão dispor de rede wi-fi

Nesta mesma sessão foram ainda assinados dois contratos da Associação das Aldeias Históricas de Portugal no âmbito do programa Valorizar, que contemplam investimentos para Monsanto e Idanha-a-Velha.

O investimento prevê a instalação de redes Wi-Fi de qualidade dentro das 12 aldeias históricas e ações ao nível da promoção da gastronomia, com a criação de uma carta gastronómica, e da mobilidade sustentável estimulando a utilização da bicicleta e as caminhadas.

A Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, deixou uma mensagem de compromisso: “Criámos o programa Valorizar por sentirmos o dinamismo turístico do interior e querermos valorizar o trabalho que já está no terreno. Acreditamos que o turismo pode ser um elemento dinamizador das economias locais e criar condições para que as populações se fixem nos seus territórios”.

A governante recordou o crescimento de Portugal no turismo, eleito o “Melhor Destino Turístico do Mundo” em 2017, mas lembrou que “ainda há muito por fazer” e destacou a importância da valorização e qualificação turística do interior.




Conteúdo Recomendado