Câmara de Idanha-a-Nova e Boom Festival querem tornar Idanha-a-Nova na “Capital do Bem-estar em 2028”

A Câmara de Idanha-a-Nova e a organização do Boom Festival assinaram um protocolo de cooperação para os próximos 10 anos com o objetivo de tornar o concelho na “Capital do Bem-Estar em 2028”, foi hoje anunciado.

Num comunicado conjunto, o município de Idanha-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, reconhece a importância dos eventos organizados pela Associação IdanhaCulta, responsável pela gestão da Herdade da Granja e do Boom Festival, para a economia local.

A autarquia compromete-se a colaborar com a organização e a criar condições favoráveis a vários projetos de sustentabilidade ambiental com base na herdade de 150 hectares.

Para o efeito, a associação IdanhaCulta quer criar um Parque de Artes e Natureza que seja um ícone mundial e contribuir deste modo para tornar Idanha-a-Nova na “Capital do Bem-Estar em 2028”.

“O Boom Festival tem sido um dos principais mensageiros da estratégia de desenvolvimento sustentado de Idanha-a-Nova enquanto Cidade Criativa da UNESCO, na área da música. O desafio permanente é que a realização do Boom Festival contribua de uma forma socialmente responsável para o progresso deste território, com toda a economia que movimenta e com os seus princípios de sustentabilidade”, refere o presidente do município, Armindo Jacinto.

A IdanhaCulta, organização nascida da mobilização de diversas pessoas que se tornaram residentes em Idanha-a-Nova e gestora da Herdade da Granja, que acolhe o Boom Festival, compromete-se, por sua vez, a realizar o festival Being Gathering e a suportar, em parceria com a Good Mood, o Boom Festival.

“É notável o esforço da organização do Boom Festival, em articulação com entidades locais, para empregar pessoas do território e consumir produtos biológicos locais, num concelho que é hoje uma referência nacional e internacional na produção bio”, indica o autarca.

A associação, cujos objetivos passam pela dinamização social, ambiental, cultural e recreativa na região, responsabiliza-se por organizar os dois eventos, “em moldes que constituam estímulo e incentivo ao turismo nacional e internacional para o concelho de Idanha-a-Nova, promovendo-o enquanto território de excelência e valorizando os seus produtos regionais”.

Na última edição do Boom Festival, que este ano volta a Idanha-a-Nova, 40% dos fornecedores e 10% dos colaboradores eram provenientes da região.

O principal objetivo do protocolo celebrado entre o município e a associação é preparar o futuro, continuando a afirmar a ligação do concelho à economia verde, uma vertente em que o Boom Festival é percursor, sendo há cinco edições consecutivas considerado “Outstanding Greener Festival Award” pelo Greener Festival Award.

A IdanhaCulta prevê concretizar projetos agrícolas, florestais e silvo-pastoris, por forma a criar uma área considerada plenamente sustentável, para promover e valorizar o território.

O plano prevê, entre outros aspetos, uma estratégia a médio e longo prazo para as áreas florestais da Herdade da Granja e Vale da Moreira – Espadaneira e Calafate, que passa pela gestão do povoamento de azinho, pelo incremento de outras espécies como o carvalho negral e pela reconversão das áreas de eucaliptal no sentido de valorizar os sistemas presentes e a adequar a gestão às funções dos espaços florestais, em conformidade com o Plano Regional de Ordenamento Florestal.

Prevê-se ainda renaturalizar os espaços ribeirinhos, nomeadamente linhas de água, margem e zonas húmidas, assegurar a manutenção da representatividade de culturas e atividades agro-pastoris tradicionais e desenvolver atividades artísticas e culturais que promovam com caráter permanente o local, o concelho e a região.

Desde 2002, houve já oito edições do Boom Festival e duas do Being Gathering realizadas em Idanha-a-Nova.




Conteúdo Recomendado