Câmara de Fornos de Algodres proíbe utilização de plástico descartável a partir de janeiro

A decisão surge no âmbito da campanha de sensibilização da autarquia intitulada “STOP ao Uso de Plástico. Seja consciente, pense no Ambiente”.

A Câmara de Fornos de Algodres, no distrito da Guarda, vai proibir a utilização de plástico descartável nos seus equipamentos a partir do dia 01 de janeiro de 2019, foi hoje anunciado.

A autarquia presidida por Manuel Fonseca (PS) refere, em comunicado, que a partir de janeiro o plástico de utilização única ou descartável vai ser proibido nas infraestruturas e nos eventos sob a sua responsabilidade.

A decisão surge no âmbito da campanha de sensibilização da autarquia de Fornos de Algodres intitulada “STOP ao Uso de Plástico. Seja consciente, pense no Ambiente”.

“Desta forma, o executivo camarário segue a resolução do Conselho de Ministros n.º 141/2018, publicada em Diário da República n.º 207/2018, Série I de 26 de outubro de 2018”, é indicado.

Segundo a nota, além da total proibição de plástico descartável, a Câmara Municipal de Fornos de Algodres “irá promover uma otimização de processos e privilegiar a proteção ambiental de uma forma mais sustentável, através da redução do consumo de papel e [de] consumíveis de impressão”.

“Assim, ficam proibidos a aquisição ou utilização, por exemplo, de copos de plástico descartáveis para consumo de café, de água ou de outras bebidas, bem como talheres e garrafas descartáveis, nas infraestruturas e eventos de responsabilidade do município”, é também referido.

A autarquia lembra que no âmbito da campanha “A Água Não Dura Sempre. POUPE-A”, também já foram disponibilizados dispensadores de água (pontos de enchimento) para todos os utilizadores terem possibilidade de encherem as suas garrafas reutilizáveis.

Com as medidas adotadas, o município de Fornos de Algodres sublinha que “segue localmente as políticas de âmbito nacional, contribuindo desta forma para uma transição da atual economia linear para uma economia circular”.

“Esta transição exige a promoção do uso eficiente de recursos, através de procedimentos e comportamentos assentes na desmaterialização, na reciclagem, na reutilização e na valorização de materiais, de forma a extrair o máximo de utilidade dos bens e equipamentos, prolongando o seu ciclo de vida e contribuindo, assim, decisivamente, para uma eficaz redução na produção de resíduos”, justifica.

A Câmara Municipal de Fornos de Algodres assume que está a trabalhar diariamente “para alcançar as metas que Portugal se propôs para 2020”.

 




Conteúdo Recomendado